terça-feira , dezembro 7 2021

Na reta final para o Enem, vale maratonar os estudos?

Às vésperas das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), marcadas para os dias 21 e 28 de novembro, os estudantes devem maratonar nos estudos ou desacelerar? Para responder a esta pergunta, professor explica que a resposta está na administração do tempo. As informações são do R7.

Segundo o professor Marcos Lanner de Moura, orientador educacional do Colégio Augusto Laranja, saber organizar o tempo de estudo nesta reta final é fundamental para um bom desempenho.

“Nada de maratonar antes das provas, isso pode acarretar o descuido nas atividades que são essenciais para o bem estar físico e emocional, o desgaste e esgotamento vão acabar se tornando os vilões no dia do exame”, avalia o professor.

Para evitar a fadiga e a consciência pesada, o coordenador educacional dá três para organizar a rotina de estudo pré-Enem e ajudar na aprendizagem:

1. Crie uma métrica de estudo

O professor Lanner de Moura avalia que muitas vezes o aluno erra quando acha que, independente de como e quantas horas, o que importa é estudar. “Sim, o aconselhável é se dedicar o máximo possível, mas, se não houver um equilíbrio e organização, o tempo investido nos estudos pode, no final, ser em vão.”

Para evitar a fadiga, o primeiro passo é organizar uma agenda de estudo semanal de acordo com o tempo que deve ser dedicado a cada matéria. Por exemplo: na segunda-feira, 2h de estudo para a disciplina de português, 2h para matemática; na terça-feira, 2h para física e 2h para inglês. “Lembrando que para as disciplinas em que o estudante tem mais dificuldades é importante acrescer uma hora a mais de estudo.”

“Na rotina, não deixe de fora a atualização das notícias do Brasil e do mundo, este conhecimento vai gerar o repertório necessário para o desenvolvimento da redação e ainda auxiliar nas respostas que vão exigir conhecimentos gerais e atualidades,” reforça o professor.

2. Equilibre a rotina de estudos e inclua tempo de lazer e descanso

Fazer sessões de estudos intercaladas com pausas é essencial. “O bem-estar emocional faz parte do processo de aprendizagem, é importante incluir ao longo do dia atividades físicas, tempo para as refeições adequadas, lazer e descanso”, enfatiza o professor.

“É importante que neste período a dedicação seja voltada para revisão e não para novas matérias”, explica. “Se por algum motivo não foi possível manter um estudo mais abrangente ao longo do ano, não pense em maratonar na última semana e checar novos assuntos, a maneira mais prudente de estudar nesta fase é, de fato, rever os assuntos que já estavam no  cronograma.”

3. Priorize a saúde emocional

É normal sentir “frio na barriga” no dia da avaliação e existe um peso emocional. Para que haja tranquilidade na hora da prova é necessário um preparo psicológico.

“A ideia é que o dia da prova seja visto como apenas mais um dia dentro de um processo de preparação. Uma boa dica é investir em simulados, fazer provas de edições anteriores do exame e se familiarizar com aquele tipo de avaliação. Esse preparo é algo que vai aliviar o peso da carga emocional”.

Se a ansiedade aumentar, vale buscar acompanhamento de um especialista.  “Na maior parte das vezes conseguimos resolver essa ansiedade com disciplina e dedicação e com um cronograma de estudos seguido à risca, o bom desempenho na prova é garantido”, diz. “Vale observar que há circunstâncias relacionadas a distúrbios emocionais que precisam ser tratados com a terapia para que eles não impactem no resultado final e no sucesso que o aluno pode ter apesar deles”, finaliza Lanner.

Veja Também

Black Friday no UniFacid oferece 40% de desconto nos cursos presenciais e semipresenciais

Instituição concede condições especiais para cursos presenciais, semipresenciais e a distância A tradicional data americana, …