STJ mantém condenação de André do Rap por tráfico de drogas

Traficante apontado como um dos principais líderes PCC deixou a prisão no último sábado após determinação do ministro Marco Aurélio Mello

A Sexta Turma do STJ (Superior Tribunal de Justiça) manteve nesta terça-feira (13), por unanimidade, a decisão do TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) que condenou o traficante internacional André do Rap, apontado como um dos principais líderes PCC (Primeiro Comando da Capital).

Condenado a 15 anos, seis meses e 20 dias de prisão, André do Rap foi solto no último sábado (10) após determinação do ministro Marco Aurélio Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal). O traficante foi investigado e denunciado pela Operação Oversea, deflagrada pela Polícia Federal em 2014.

No dia seguinte após ganhar liberdade, o presidente do Supremo, ministro Luiz Fux, determinou o retorno do traficante à prisão, mas ele já não foi mais localizado e entrou nesta segunda-feira para a lista de criminosos mais procurados pela polícia de São Paulo.

Ele estava preso desde o fim de 2019. Além da casa de luxo onde foi preso, André do Rap tinha um patrimônio estimado pelos investigadores em R$ 17 milhões. Com ele foram também apreendidos um helicóptero, uma lancha e um veículo.

De acordo com o MPF (Ministério Público Federal), a organização liderada por André do Rap se especializou no envio de drogas para o exterior a partir do Porto de Santos (SP).

A ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República) e a Conamp (Associação Nacional dos Membros do Ministério Público) emitiram uma nota conjunta para criticar a decisão do STF em soltar o condenado e defender que o Ministério Público não tenha se omitido no caso.

R7

Veja Também

Moraes pede que PGR se manifeste após Bolsonaro desistir de depor

Ministro do STF também determinou a prorrogação por mais 60 dias do inquérito que apura acusação …