Justiça absolve ex-PM e guarda civil de chacina na Grande São Paulo

Após 5 dias de julgamento, decisão da juíza Elia Kinosita, no Fórum Criminal de Osasco, nesta sexta-feira (26), inocentou os réus

O Tribunal do Júri absolveu o ex-policial militar Victor Cristilde Silva dos Santos, de 37 anos, e o guarda civil metropolitano, Sérgio Machado, de 48, acusados de participar da maior chacina de São Paulo, com a morte de 17 pessoas, nas cidades de Osasco e Barueri, em agosto de 2015.

Após 5 dias de julgamento, a decisão foi proferida pela juíza Elia Kinosita, no Fórum Criminal de Osasco, na Grande de São Paulo, nesta sexta-feira (26).

Inicialmente, o julgamento previa a participação de 40 testemunhas, sendo 20 de acusação, 16 de defesa e 4 comuns. No entanto, 16 testemunhas foram dispensadas. Ao todo, 24 pessoas foram ouvidas pelo tribunal.

1º dia: segunda-feira (22) – Início às 11h, término às 19h50 – Foram ouvidas seis testemunhas, sendo três de acusação e três de defesa. Falaram dois delegados – José Mario de Lara e Andreas Schiffmann -, duas vítimas, o filho de uma vítima e o capitão da Polícia Militar, Rodrigo Elias.

2º terça-feira (23) – Início às 10h, término às 17h15 – Foram ouvidas dez testemunhas, sendo quatro de acusação e seis de defesa.

Botão para controlar o volume da publicidade

3º dia: quarta-feira (24) – Início às 10h30, término às 21h – Foram ouvidas oito testemunhas, sendo todas de defesa.

4º dia: quinta-feira (25) – Início às 10h30, término às 23h10 – Foram ouvidos o ex-policial militar Victor Cristilde Silva dos Santos e o guarda civil metropolitano, Sérgio Machado. Depois dos depoimentos houve o debate entre os advogados de defesa e de acusação, que se prolongou até às 23h10, quando a sessão foi encerrada.

5º dia: sexta-feira (26) – Início às 09h – advogados de acusação utilizaram a réplica, que durou em torno de duas horas e a defesa teve o mesmo tempo para realizar a tréplica. O Conselho de Sentença se reuniu e decidiu pela absolvição dos acusados, por volta das 15h20.

Estadão conteúdo

 

Veja Também

STJ multa TIM em R$ 50 milhões por ‘propaganda enganosa’

STJ decidiu manter condenação que multava a TIM em R$ 50 milhões Consumidores que usavam …