segunda-feira , março 8 2021

Empresas criam protocolos para driblar pandemia no Piauí

O calendário de retomada total da economia ainda não foi divulgado, mas alguns setores já estão se adaptando ao chamado “novo normal”. Para driblar as dificuldades provocadas pelo novo coronavírus, muitas empresas criaram protocolos de enfrentamento que incluem home office, distanciamento social e reforço nas medidas de higienização.

A Águas de Teresina, por exemplo, colocou a maior parte dos funcionários para trabalhar de casa. “Quando iniciou a pandemia, nós organizamos a equipe e estruturamos a casa dos colaboradores para home office. Você conta nos dedos quem trabalha dentro da empresa. Foi instalado computador, cadeiras de escritório e tudo que fosse possível para isso. O call center está 100% home office. Os atendentes de loja foram para o call center. E os totens espalhados na cidade também reforçaram o atendimento, diminuindo filas de espera. Além disso, 95% da empresa está em home office”, explica Bárbara Melo, diretora de recursos humanos da empresa.

As equipes que trabalham nas Estações de Tratamento de Água e Esgoto, além daquelas que atuam com os serviços em campo para garantir o abastecimento, contam com EPIs necessários à proteção, além de ampla orientação quanto aos cuidados indicados pelos órgãos de saúde. Essas atividades funcionam normalmente e em período integral. Os colaboradores que integram o grupo de risco foram imediatamente afastados e a concessionária implantou home office em outras diversas atividades, incluindo para 100% da equipe de call center.

Reforço da equipe médica para o trabalho de orientação e prevenção ao avanço do novo coronavírus com atendimento 24 horas aos colaboradores e a higienização do ambiente de trabalho e veículos de colaboradores também foi outro ponto do protocolo.

O trabalho iniciou bem no começo da crise. “Começamos a monitorar os colaboradores a partir do primeiro caso que houve no Piauí, que foi de um jornalista. Pessoas com sintomas ou contato com alguém doente foram afastados e monitorados. 100% da nossa equipe está sendo monitorada. Reforçamos nosso time da saúde, colocando mais um médico para atender os colaboradores. Disponibilizamos também um teleatendimento do Hospital Albert Einstein, através de um aplicativo, que disponibiliza especialistas para os funcionários e dependentes”, acrescenta Melo.

A empresa iniciou a testagem dos colaboradores antes mesmo da obrigatoriedade via decreto. Além disso, todos os colaboradores receberam a vacina do H1N1. “No refeitório tiramos as mesas, delimitamos áreas para que o isolamento seja respeitado. Disponibilizamos álcool e máscara para evitar a contaminação, além de desinfecção dos carros de forma frequente. Adotamos um ponto pelo celular. Sobre o futuro ainda está incerto. Fazemos reuniões, mas não há certeza de nada”, reforça a diretora de recursos humanos.

Ações externas também marcam o compromisso social da Águas de Teresina. “Disponibilizamos mais de um milhão de litros de solução de hipoclorídrico para sanitização. Nossas atividades não declinaram, continuamos com nossa produtividade, sem perder a qualidade. Mas quando estamos juntos, com olho no olho, é mais fácil marcar uma reunião imediata”, considera.

Ações externas da Águas de Teresina

A concessionária está apoiando as ações de sanitização feitas pela Vigilância Municipal de Saúde e pela Rede Pense Piauí em áreas públicas e de grande circulação de pessoas. Neste processo, a Águas de Teresina já disponibilizou mais de 1,4 milhão de litros da solução de hipoclorito a 1%.

Sanitização de ruas. Crédito: Ascom/Águas de Teresina.

A Central de Abastecimento (Nova Ceasa), aeroporto, rodoviária, Polo de Saúde (entorno dos hospitais), postos de saúde e mercados públicos, delegacias, são alguns dos espaços que passaram pela desinfecção. Os trabalhos da empresa envolveram, ainda, a instalação de pias comunitárias em locais estratégicos.

Em parceria com a Rede Pense Piauí, a empresa fez a doação de 200 litros de solução de hipoclorito para a desinfecção das ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). A ação de sanitização será feita nos veículos que compõem a frota da capital. Também foi firmada uma parceria para a produção e distribuição de álcool destinado à rede hospitalar, além da distribuição de 20 mil máscaras. A concessionária apoiou a ação com a logística para fazer o transporte do material.

Farmácia Fórmula teve que se reinventar

A Rede de Farmácias de Manipulação Fórmula teve que se adaptar e se reinventar no período de crise sanitária. Adotando medidas de sanitização e biossegurança, a empresa segue dando passos positivos no enfrentamento e combate à covid-19.

É o que explica Fernando Azevedo, farmacêutico e diretor comercial da empresa. “Instalamos totens de álcool gel que são acionados por pedal. Além disso, fazemos a higienização frequente de portas e maçanetas. Também fazemos a distribuição de máscaras para todos os colaboradores e cliente”, conta.

 

Farmácias adotaram protocolos. Crédito: divulgação.

A redução do fluxo de clientes e atendimento online também foram reforçados. “A entrada é de apenas dois clientes em loja por vez, com o distanciamento de 1,5 metros do atendente para o cliente dentro da loja. Fizemos também a distribuição de face shield para todos os colaboradores que estão em contato direto de atendimento com o público. Também estimulamos vendas on-line ofertando entregas em domicílio grátis”, acrescenta.

Carvalho Super no combate à Covid-19

O Grupo Vanguarda, em obediência ao decreto que regula a autorização de funcionamento dos estabelecimentos de necessidades básicas, tomou todas as medidas de segurança para proteção de seus funcionários, colaboradores e clientes, no combate a proliferação da Covid-19 na rede de supermercados Carvalho Super e Carvalho Mercadão.

Seguindo o protocolo geral das recomendações de segurança higiênicas e sanitárias para a prevenção do novo coronavírus, foram adotadas algumas medidas. Na entrada dos supermercados disponibiliza-se álcool em gel em um totem com dispenser, é feita a aferição da temperatura dos funcionários e há um setor de enfermaria para cuidar de toda a equipe.

Crédito: Ascom/Vanguarda.

Também foram disponibilizados armários individuais, barreiras de acrílico entre atendentes e clientes, marcações no chão para delimitar espaço entre clientes, reforço na limpeza geral de todos os setores, higienização das lojas, dos carrinhos e dos produtos e uso de equipamento de proteção individual por toda a equipe.

Os supermercados ressaltam ainda que todos os nossos clientes devem usar máscaras durante todo o período em que permanecerem dentro das lojas, além de evitar aglomerações dentro dos ambientes.

Grupo Meio Norte na linha de frente

Garantir informação de qualidade para a população é uma responsabilidade do Grupo Meio Norte de Comunicação, que é um serviço essencial da linha de frente de combate ao novo coronavírus. No entanto, a empresa também criou protocolos específicos para contribuir para a erradicação da covid-19 no Estado.

Sanitização da ilha de edição. Crédito: GMNC.

Valdenizia Melo, diretora administrativa do Grupo Meio Norte, explica que a empresa adotou um protocolo próprio. “Foram várias reuniões com presidência, diretorias, coordenações, supervisores e colaboradores para montagem de estratégias para esse momento que pensávamos que seria de 90 dias. A primeira medida foi identificar dentre os colaboradores quem eram os que faziam parte do grupo de risco e afastá-los. Quem poderia trabalhar via home office e assim montarmos estrutura de apoio para atender toda essa equipe gigantesca que está de casa prestando serviços, quem poderíamos reduzir jornada, quem poderia trabalhar fazendo rodízio de dias, quem poderia ficar na linha de frente e assim teríamos que manter constante acompanhamento”, explica.

O planejamento das ações para implantação protocolo partiu da distribuição de máscaras de tecido, facial, luvas e toucas. “Além da distribuição por todos os setores de álcool 70 líquido, em gel e papel toalha. Caixa sanitização na entrada da empresa com solução água e água sanitária . Aferição de temperatura com termômetro digital sem toque. Recepcionistas, vigias e seguranças equipados com toucas, luvas, máscaras de tecido e máscara facial”, acrescenta.

Vidro protetor na recepção, isolamento da catraca de controle de entrada e saída, distanciamento longarinas e adequação sala de visitantes, comunicação visual por toda empresa sobre cuidados no combate ao covid-19, acompanhamento dos colaboradores e interação via aplicativos entre setores com bate papo sobre novo mundo também integram o plano de ação.

A testagem dos colaboradores e adaptações nos refeitórios, com distanciamento entre mesas, e utilizações dos bebedouros apenas com copos e garrafas também foram preocupações do grupo. “Implantamos medidas de distanciamento nas bancadas de 2 metros entre cada colaborador e também instalamos divisórias, limitando a quantidade de pessoas por setor em alguns pontos necessários”, ressalta Valdenizia.

O treinamento da equipe de limpeza com uso de EPIs, contratação de mais profissionais para suporte na intensificação da limpeza em todo complexo, sanitização mensal em todos os setores por empresa autorizada pelos órgãos competentes e borrifação constante nos ambientes de estúdios de gravação com álcool 70% líquido e limpeza  do piso com solução em água sanitária também garantem a biossegurança na empresa.

meionorte.com

Veja Também

Filial da Havan em Teresina será inaugurada no final do mês de março

O novo empreendimento será responsável por empregar 150 funcionários na Capital. A loja da Havan …