segunda-feira , janeiro 18 2021

Projeto estimula mulheres cegas a criarem negócios com foco na acessibilidade

A Escola Comradio e o Instituto ILEVE em parceria com a Fundação Interamericana (IAF) irá selecionar 40 mulheres com deficiência visual para participar do Projeto Mulheres de Visão. As participantes selecionadas receberão formação de autoconhecimento, oratória, políticas públicas de inclusão, cooperativismo, comunicação, empreendedorismo, negociação e planos de negócios. Ao final de um ano, as beneficiadas devem entregar planos negócios para atender as demandas de acessibilidade no mercado piauiense. O projeto terá duração de três anos.
Durante o projeto serão realizadas atividades como pesquisa sobre mercado de trabalho para pessoas com deficiência, intervenções em praças, escolas, faculdades e empresas sobre o mundo da pessoa cega, uma revista acessível, documentários, concurso de reportagem, selo para reconhecer empresas acessíveis e será publicado um livro com a metodologia do projeto e histórias de superação de mulheres.

“Sempre fomos movidos pela paixão de aprender e compartilhar a comunicação que transforma vidas e realidades. E o projeto Mulheres de Visão surge com essa missão: empoderar mulheres cegas por meio de ações que possam impactar socialmente nas áreas da inclusão, mercado de trabalho e comunicação, levando à transformação social e fazendo a sociedade incluir e viver o tempo do outro, enxergar o mundo da pessoa com deficiência sob outro ponto de vista”, afirmou Iraildon Mota, presidente da Escola Comradio e Instituto ILEVE.

Entre as ações previstas no Projeto Mulheres de Visão constam ainda uma plataforma específica de indicação de pessoas com deficiência para o mercado de trabalho, como também um concurso de ideias de negócios inovadores. O projeto também irá criar o Fórum Permanente de Negócios Acessíveis do Piauí com a participação de várias organizações sociais, empresas e poder público.

Estatísticas
O Piauí é o segundo Estado brasileiro com maior número de pessoas com deficiência. De acordo com o censo do IBGE de 2010, 17,63% da população possui algum tipo de deficiência, destes 48,1% tem deficiência visual. Aplicado este percentual a população atual do Estado, de 3.140.213, um total de 553.619 pessoas possui algum tipo de deficiência, onde cerca de 265.737 são cegos ou com baixa visão.

Uma outra realidade é que 70% dos prédios públicos e de uso coletivo na cidade de Teresina não apresentam rampas de acesso ou banheiros adaptados, segundo informações do Grupo de Trabalho de Acessibilidade do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura, e Agronomia do Piauí (CREA-PI).

Ascom

Veja Também

Banco Popular adota medidas de apoio aos microempreendedores frente à pandemia

O Banco Popular de Teresina (BP) está adotando medidas de apoio aos pequenos empreendedores que …