segunda-feira , outubro 19 2020

Projeto de estudante aumenta a segurança no uso de medicação em hospital de Pio IX

O Hospital Municipal Dona Lourdes Mota, do município de Pio IX, iniciou o projeto de extensão “Conciliação Medicamentosa e Interações Medicamentosas”, apresentado pelo acadêmico do curso de Farmácia e estagiário do hospital, Felipe Carvalho. O projeto tem a finalidade de auxiliar no acompanhamento de pacientes que já fazem uso de medicamentos contínuos para não ocorrer problemas durante a fase em que estiver hospitalizado, aumentando, assim, a segurança e eficácia do tratamento.

O serviço objetiva ajudar toda a equipe de saúde a evitar que a ingestão de outras substâncias que possam causar problemas ao usuário por falta de informação a respeito do tipo de medicamento utilizado pelo paciente antes de ser admitido no hospital.

“Pensamos num projeto para garantir que os medicamentos usados pelos pacientes em casa, de uso contínuo, serão prescritos no hospital durante sua admissão. Pois muitas vezes o paciente é admitido no hospital, mas ele não relata sobre um certo medicamento que utiliza continuamente, ele apenas diz os sintomas que levou ao hospital e isso acaba influenciando no seu tratamento”, explica o acadêmico Felipe Carvalho.

“Abraçamos e agradecemos essa proposta, pois tem sido um ótimo trabalho para o hospital, com resultados positivos, através do levantamento feito pelos prontuários do hospital. Enquanto estagiário, ele me apresentou o Procedimento Operacional Padrão (POP) do projeto, onde explicava o objetivo e os benefícios para os pacientes com esse tipo de serviço farmacêutico. Pois, muitas vezes, quando o paciente dá entrada no hospital, ele só fala o que está sentindo naquele momento presente, e não relata se usa outro medicamento por causa de algum outro tipo de doença crônica”, explica Luma Bezerra, diretora do Hospital Municipal Dona Lourdes Mota.

Para a médica do hospital, Marla Viana, “podemos observar a importância de um farmacêutico clínico no hospital, pois facilita o trabalho de todos e beneficia os pacientes. É um projeto muito importante para a  equipe médica, pois esse serviço de verificar a medicação utilizada anteriormente pelo paciente pode melhorar o andamento do tratamento atual”, finaliza.

Fonte: Ascom

Veja Também

Covid-19: A luz ultravioleta pode mesmo matar o coronavírus?

Tem sido comentado nas redes sociais sobre como os raios UV podem ajudar no combate …