Trump indica jurista conservadora de 48 anos para vaga na Suprema Corte

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou neste sábado (26/9) a indicação da jurista Amy Coney Barrett, 48, a uma vaga na Suprema Corte. A cadeira ficou em aberto após a morte da juíza progressista Ruth Bader Ginsburg, aos 87 anos, na semana passada.

A indicação ainda precisa ser aprovada pelo Senado, que tem maioria republicana. Se o nome for confirmado, a Suprema Corte americana terá um perfil ainda mais conservador, de acordo com os ideiais do partido Republicano. Com Barrett, a Corte passará a ter seis juízes conservadores contra três de perfil progressista.

Ao anunciar a indicação, o presidente dos EUA disse que a jurista vai “tomar decisões de acordo com o texto da Constituição como está escrito”. Barrett deve ser a juíza mais jovem a ocupar uma cadeira na Suprema Corte americana. Católica, ela é mãe de sete filhos e, atualmente, atua no Tribunal de Apelações do 7º Circuito de Chicago.

Dúvida na indicação
A indicação de Trump gerou controvérsias nos Estados Unidos por ser feita em ano de eleição presidencial. Em 2016, quando morreu o juiz conservador Antonin Scalia, o então presidente Barack Obama foi proibido de indicar um sucessor — o que ficou sob responsabilidade de seu sucessor, Donald Trump.

No entanto, esse entendimento foi alterado pela liderança do Senado após a morte de Ruth Bader Ginsburg, permitindo que Trump indicasse o novo membro da Suprema Corte mesmo em ano eleitoral.

Nos EUA, os juízes da Suprema Corte são nomeados de forma vitalícia.

 

Conjur

Veja Também

Moraes pede que PGR se manifeste após Bolsonaro desistir de depor

Ministro do STF também determinou a prorrogação por mais 60 dias do inquérito que apura acusação …