Segunda etapa da vacinação contra raiva acontece nas zonas sul e sudeste

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina realizará no próximo sábado (5) a segunda etapa urbana da vacinação contra a raiva em cães e gatos nas zonas sul e sudeste. Teresina superou a meta da primeira etapa da campanha, que aconteceu no último sábado (28). Um total de 61.128 cães e gatos foram atendidos, o que corresponde a 93,70% dos 65.238 animais estimados para a área.

A meta estabelecida pelo Ministério da Saúde é de que, no mínimo, 90% do número de bichos deve ser imunizado. Nos 136 postos, distribuídos pelas duas zonas da cidade, 45.996 cães e 15.132 gatos receberam as doses, o que corresponde a 94,01% e 92,78% das metas para cada espécie, respectivamente.

Por questões de logística, a campanha foi dividida em duas etapas na zona urbana, sendo as zonas sul e sudeste contempladas no próximo sábado (05). “Nós chamamos todas as pessoas responsáveis por cães e gatos dessas regiões para que se dirijam ao posto de vacinação próximo à sua residência. A partir dos três meses de idade os animais já podem receber a vacina”, diz Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS.

Ela lembra, ainda, que essa é a única forma de prevenção contra a doença. “É segura e gratuita, constituída por vírus atenuado, 2% de tecido nervoso e conservantes a base de fenol e timerosol. A vacina é importante por proteger, além do animal, os seres humanos que convivem com eles”, alerta a gerente.

A raiva é uma zoonose, ou seja, é transmitida do animal para o homem. Tem uma alta taxa de mortalidade, chegando a alcançar quase 100%. O homem é um hospedeiro acidental na cadeia infecciosa, assim como os animais domésticos (cão e gato) até certo ponto. O grande reservatório natural é representado por animais silvestres.

Esse vírus é transmitido através de mordidas e arranhaduras de mamíferos já contaminados. Na maioria dos casos a transmissão ocorre através de cães e gatos, porque são animais de companhia que possuem maior convívio com os humanos. Porém, outros animais contaminados também podem transmitir, como os furões, raposas, coiotes, guaxinins, gambás e morcegos.

O último caso de raiva em ser humano em Teresina foi em 1986 e de raiva canina foi em 2011 em um cão proveniente do interior do estado, cujo proprietário residia de Teresina.

Veja aqui quais os postos de vacinação.

Veja Também

Estudo apresenta proteína capaz de impedir infecção do vírus da covid

Cientistas descobriam que a lectina impede entrada do SARS-CoV-2 na célula. É um passo importante …