quarta-feira , setembro 30 2020

Instituições debatem mortalidade materna-infantil

Teve início na manhã desta quarta-feira (08) o I Fórum Estadual de Enfrentamento e Erradicação da Mortalidade Materna-Infantil, Neonatal e Responsabilidade Social, promovido pela Comissão de Apoio à Vítima de Violência da OAB-PI, visando debater o assunto e buscar soluções.

A secretária adjunta da OAB-PI, Élida Franklin, presidiu a mesa de abertura e ministrou a palestra “Abordagem sistêmica sobre a situação da gestante e parturiente na sociedade”. Para ela, esse é um tema delicado e que afeta toda sociedade. “Cada um de nós é responsável para mudar essa situação, essa realidade que hoje se apresenta em relação à saúde das gestantes, das parturientes e das crianças. É com muita satisfação que damos início a esse evento, na esperança de que muitas reflexões sejam aqui criadas e que se espalhem pelo mundo para que realmente possamos melhorar essa condição social que está tão crítica”, comentou.

O secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, aproveitou o momento para apresentar o trabalho realizado no Estado com o intuito de humanizar o parto. Segundo ele, foram construídos centros de partos normais nas cidades de Floriano, Parnaíba, Teresina, Piripiri e, em breve, serão inaugurados mais dois em São Raimundo Nonato e Picos. “Isso faz com que nós possamos estabelecer uma meta de nos aproximarmos daquilo que preconiza a Organização Mundial de Saúde, que é o índice de partos normais bem superior àquele tido por meio de parto cesariano”, frisou.

Florentino destacou ainda as melhorias dos centros obstétricos nos hospitais regionais, para dar melhores condições de utilização pelos profissionais e melhor prestação de serviço na área obstétrica. “Entendemos que todo esforço que estamos fazendo na assistência deve também estar presente na atenção primária, por isso estamos buscando dialogar com os municípios para que o número de consultas pré-natais que é estabelecido pelos protocolos seja efetivamente realizado e que a gente possa diminuir o número de incidentes que a gente tem tido corriqueiramente”, completou.

A integrante da Comissão de Apoio à Vítima de Violência, Ana Carolina Dias, afirmou que o intuito do Fórum é abordar o tema junto à comunidade, visando à melhoria do sistema de saúde no Estado. “Estamos vivendo um desmonte social, com corte de verbas, corte de orçamentos. Isso é um projeto político que faz mal a toda população, especialmente a população mais pobre”, disse.

Integraram ainda a mesa de abertura: Anayde Aguiar, vice-presidente da Comissão da Mulher Advogada; Orlandina Lima, membro da Comissão de Direito da Saúde; Isabela Alves, membro da Comissão de Apoio à Vítima de Violência; Kalynny Matos, representando o Crefito14; Ivanilda Sepúlveda, representando a Associação Brasileira de Obstetrícia e Enfermeiros Obstetras; Tatiane Guimarães, presidente do Coren-PI; Jaílson Costa Lima, membro da diretoria da Associação Piauiense de Ginecologia e Obstetrícia; e Iris Mary Meneses do Amaral, representando a Fundação Municipal de Saúde.

O evento conta com o apoio do CRM/PI, Crefito14, CRP21, Coren/PI, Sopigo, Acontepi, Abenfo/PI, Coordenadoria Estadual da Mulher e Secretaria Municipal da Mulher. A programação segue até a próxima sexta-feira (10), no Auditório da OAB-PI.

Fonte: Ascom

Veja Também

Vacina contra a Covid-19 da Johnson & Johnson entra na terceira e última fase de testes

Etapa deverá incluir até 60 mil voluntários em 8 países, inclusive no Brasil, e aceitará …