quinta-feira , outubro 22 2020

Teresina notificou 390 casos de HIV/AIDS

Teresina notificou até o momento 390 novos casos de HIV/Aids entre os residentes em Teresina. Já é um número menor que o de 2017, que registrou 486 novos casos em Teresinenses. A coordenadora de IST da FMS chama atenção para a importância das campanhas de prevenção e principalmente da testagem, que deve ser feita por todos.

“Existem milhões de pessoas que não sabem do seu estado sorológico. Ações como estas servem para dar acesso à testagem, e a pessoa uma vez diagnosticada já iniciar seu tratamento, que é de acesso universal, feito pelo SUS e vai garantir uma qualidade de vida quando feito corretamente”, esclarece Alana Niége, coordenadora municipal de ISTs.

Há 30 anos, o dia 1º de dezembro foi escolhido como o Dia Mundial de Combate à Aids, onde equipes de saúde de todos os países promovem ações de alerta à sociedade sobre a doença. Em Teresina, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) está promovendo uma semana de atividades educativas, preventivas e de testagem rápida com diversos segmentos da população.

As atividades começaram na última terça-feira (27) na Avenida Maranhão, com a distribuição de preservativos masculinos, femininos e gel lubrificante entre os lavadores de carro que trabalham no local. Segundo Alana Niége, a equipe distribuirá também material educativo e tirará dúvidas sobre a doença. “Esta é uma ação que é feita todos os anos e já é esperada por este público”, comenta. Hoje (28), das 8h ao meio dia, a equipe esteve no Shopping da Cidade, distribuindo material, dando orientações e fazendo testagem rápida para HIV, sífilis e hepatites B e C.

A distribuição de material educativo e preventivo segue na quinta-feira (29), quando será feita uma ronda noturna pelos principais bares e baladas de Teresina. Na sexta-feira (30) às 18h, a FMS estará fazendo testagens rápidas no evento Cidadania e Diversidades, realizado em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (Sesapi) e ONGs relacionadas à temática. Por fim, no dia 1º de dezembro, a equipe promove uma ação em um bordel da capital, em parceria com a Associação das Prostitutas do Piauí (Aprospi). “Vamos promover uma palestra, testagens e distribuição de material educativo”, diz Alana Niége.

O Dia Mundial de Combate à Aids tem por objetivo chamar atenção sobre o problema, desde sua prevenção, tratamento, acompanhamento, uma vez que se trata de uma doença ainda sem cura e que requer uma proteção eficiente. “Precisamos findar esse preconceito, mostrar à população que não se contrai AIDS com um aperto de mão, ou com um simples abraço em um paciente. A doença não é uma sentença de morte e é possível viver com ela, relacionar-se e trabalhar normalmente”, alerta a coordenadora.

Fonte: Ascom

 

Veja Também

Uso desenfreado de antibióticos na pandemia pode levar a ‘apagão’ contra bactérias resistentes

Mesmo sem eficácia ou necessidade comprovada para a covid-19, antibióticos foram amplamente usados contra o …