quinta-feira , outubro 22 2020

Reinaugurado, JECC da Redonda vai levar serviços da Justiça para 200 mil pessoas

O Presidente do Tribunal de Justiça do Piauí (TJ-PI), Desembargador Erivan Lopes, entregou mais uma unidade judiciária estruturada. Desta feita, o Juizado Cível e Criminal da Redonda, no grande Dirceu.

Ao falar com a Imprensa, o Presidente destacou que essa reforma era extremamente necessária, tendo em vista a situação em que o Juizado se encontrava. Para ele, para se cobrar mais produtividade é necessário que se tenha estrutura e essa tem sido uma preocupação de sua gestão.

“A entrega dessa reforma representa mais uma etapa vencida na estruturação do Judiciário do Piauí. Uma estruturação em recursos humanos, com a nomeação de juízes, servidores, estagiários, juízes leigos e conciliadores, todos os colaboradores da Justiça. Aqui no JECC da Redonda, os trabalhos atendem cerca de 200 mil pessoas e precisava dessa estruturação. A obra custou quase R$ 1 milhão de reais, investidos em construção civil, móveis, distribuição de dados e informática, para permitir que juízes e servidores e colaboradores estejam aqui para receber e receber bem quem procura os serviços de justiça”, afirmou o Presidente Erivan Lopes.

O Juiz João Henrique, que substitui o Diretor do Juizado Juiz Jorge da Costa Veloso, comentou sobre a importância da reforma para a melhoria da prestação jurisdicional.

“É um prédio acessível, que agora é reinaugurado e que vai melhorar sensivelmente os serviços para a população. Todos serão beneficiados, não só quem procura a Justiça, mas também o Ministério Público, OAB-PI, Defensoria Pública, estagiários e servidores. Todos estão de parabéns. Toda a gestão do Presidente Erivan Lopes”, disse o magistrado.

A OBRA
A reforma do JECC contemplou reforço estrutural de áreas parcialmente afetadas e reconstrução de áreas comprometidas, conforme Laudo Pericial Estrutural, mudança do material da cobertura, execução de nova fossa e sumidouro, troca do piso das salas e circulações, troca de todas as portas, instalação de forro de gesso, adequação das instalações elétricas, lógica e telefone, recuperação de calçadas, recuperação de banheiros, instalação de plataforma elevatória para PCD, construção de banheiros acessíveis, demolição de revestimento cerâmico das fachadas, pintura geral, externa e interna e execução de um novo layout, atendendo às necessidades do Juizado.

O reforma custou R$ 900,000,00 mil reais.

Fonte: Ascom

Veja Também

Proposta determina que o poder público pague o sepultamento de vítimas do coronavírus

O Projeto de Lei 1662/20 determina que o manejo do cadáver e o sepultamento ou …