Pfizer antecipa 7 mi de doses e quase dobra entregas em julho

Com a nova remessa, Brasil vai receber 15 milhões de doses no mês. Contratos preveem total de 200 milhões até o fim de 2021

Após pedido do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), a Pfizer antecipou 7 milhões de doses da sua vacina e quase dobrou a previsão para o mês de julho, anunciou nesta quarta-feira (16) o Ministério da Saúde. Com a nova remessa, o Brasil vai receber 15 milhões de doses no mês que vem.

A partir dos dois últimos trimestres de 2021, o Brasil deve receber a maioria das 200 milhões de doses contratadas da farmacêutica. Enquanto isso, a tentativa do governo é de tentar antecipar a entregas marcadas para o fim do ano da Pfizer, da Janssen e da Moderna, como já anunciou o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga.

Foi o que aconteceu nesta terça-feira (15), durante reunião entre a cúpula do governo federal e a empresa. No encontro, o gerente-geral da Pfizer na América Latina, Carlos Murillo, prometeu priorizar o Brasil na antecipação de doses.

Depois de demorar cerca de sete meses para fechar contrato com a Pfizer, o governo federal passou a receber as vacinas em várias remessas com poucas doses. Foram 3,5 milhões entregues nos meses de abril e maio. A previsão é de mais 12 milhões em junho.

Depois de julho, o cronograma do ministério da Saúde prevê 76,4 milhões de doses no período de agosto a setembro de 2021, somadas a outras 100 milhões que ainda não têm previsão de chegada.

R7

Veja Também

Estudo: Pfizer é mais eficaz contra Delta com intervalo de 8 semanas 

Bula indica 21 dias entre doses, Brasil e outros países usam 12 semanas de distanciamento; …