MP junto ao TCU pede suspensão da viagem de comitiva a Israel em busca de spray nasal contra covid

O subprocurador-geral do Ministério Público que atua junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) Lucas Rocha Furtado apresentou uma representação, com pedido de liminar, para que “seja determinada a suspensão da viagem dos agentes públicos a Israel, até que o TCU avalie a pertinência e aderência da motivação que embasa a decisão acerca dessa missão internacional”.

Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que uma comissão de 10 pessoas, chefiada pelo ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, vai a Israel negociar um acordo para tentar trazer ao Brasil o spray nasal EXO-CD24, ainda em fase inicial de testes, que seria usado no combate à covid-19.

Rocha Furtado pede “medidas necessárias a apurar a suficiência e pertinência da motivação dos atos administrativos relativos à decisão de enviar uma equipe de dez agentes públicos – incluindo o Ministro das Relações Exteriores – a Israel, para conhecer um suposto medicamento para tratamento da covid-19, produto ainda em fase incipiente de testes e aparentemente sem os rigores de uma pesquisa científica usual, o que ofende o princípio constitucional da eficiência a que se vincula a Administração Pública e pode resultar em dispêndio injustificado de recursos públicos”.

No documento apresentado, o subprocurador-geral Lucas Rocha Furtado aponta que “na semana passada, o responsável israelense pelo desenvolvimento do novo produto, Nadir Arber, do Hospital Ichilov de Israel, afirmou ao colunista do UOL Jamil Chade, que o medicamento não está pronto para uso e precisa de novos testes”.

A diretora da Sociedade Infectologia do Distrito Federal, Lívia Vanessa, também afirmou que “não há comprovação científica de imunização advinda desse spray nasal, ou mesmo tratamento para infecção por SARS-CoV2″.

O spray nasal EXO-CD24 está sendo testado para covid-19 com 30 voluntários e, por enquanto, não há resultados publicados em artigo científico nem da fase 1, que ainda não está oficialmente concluída.

Yahoo

Veja Também

Juiz suspende pagamento de contrato imobiliário devido à crise financeira

Por constatar que o comprometimento do patrimônio traz dificuldades financeiras para a compradora durante o …