quinta-feira , novembro 26 2020

Leo Picon: “O mundo precisa de salvadores, e não de mais bilionários”

Sócio de quatro empresas diferentes, de moda a hamburgueria, o influenciador digital conta como participa de cada negócio

O empreendedorismo está na vida do influencer Leo Picon desde cedo. Antes dos 15 anos de idade, ele pôde experimentar o sucesso e o fracasso, na mesma proporção. Hoje, aos 24, soma cerca de 4,2 milhões de seguidores no Instagram, comanda ou tem participação em quatro empresas de segmentos diferentes e está prestes a estrear seu primeiro TEDx Talk, para falar sobre empreendedorismo.

A história de Picon com os negócios começou em 2003, quando ele tinha 7 anos de idade e, depois de muitos testes, conseguiu participar de dois comerciais de televisão. Recebeu como pagamento cerca de R$ 8 mil – o que, naquela época, era uma verdadeira fortuna. A família resolveu aplicar o dinheiro.

Cinco anos depois, com a crise financeira de 2008, ele experimentou seu primeiro grande prejuízo: as ações derreteram e ele, aos 13, ele viu seu patrimônio precoce evaporar.

Picon vivia como qualquer adolescente e era heavy user do finado Orkut. Mesmo naquela época, já tinha uma fanbase que o acompanhava com afinco. Ele atribui isso ao seu perfil comunicativo e às fotos que tirava de si mesmo e compartilhava em seu álbum virtual. “Por meio de perfis e comunidades eu me comunicava com mais de 30 mil pessoas que buscavam saber sobre mim”, conta.

Leo Picon (Foto: WAY Model)
Leo Picon (Foto: WAY Model)

Em 2009, com o surgimento do Twitter, Picon começou a entender a força que a fama digital poderia ter no mundo real. A repercussão no microblog fez com que, aos 14 anos, ele começasse a ser convidado para fazer presença vip em matinês. “Eu mesmo negociava os valores e condições nessa jornada. Até 2012 consegui levantar mais de R$ 30 mil”, comenta.

Parte desse valor foi usado para fundar seu primeiro negócio, a marca de roupas Approve, no final de 2012. “No início da empresa, eu criava os produtos junto com meu sócio, fazia as fotos, subia no site, montava os pedidos, planilhava o estoque, cuidava do atendimento e levava as caixas para o Correio.” Paralelamente a isso, ele conta que divulgava a empresa no Twitter e conseguia engajamento suficiente para levar termos como COMPRE JUST APPROVE para os trending topics mundiais.

“Acho que, naquele momento, eu já estava pensando como um empreendedor. Persistir e estudar, com o tempo, me trouxeram maturidade para traçar voos mais altos.” Hoje, Picon é formado em administração com especialização em marketing.

Com o passar dos anos, o empreendedor foi imprimindo sua marca em mais negócios, dos quais ele participa ativamente. A Approve é a que demanda mais tempo e aquela na qual ele está mais inserido, principalmente na construção de ações estratégicas. Já na hamburgueria Luz, Câmera, Burger!, em São Paulo, e na produtora Xoko Jar, a participação do influenciador é mais voltada para o marketing das empresas, sua área de especialização – não só com a imagem, mas também com as ações. Tem ainda a Galleria Bar, também em São Paulo, onde ele assina toda a produção, além de ser conselheiro da operação geral.

Leo Picon (Foto: WAY Model)
Leo Picon (Foto: WAY Model)

“Pra mim, o segredo [para equilibrar a agenda] é que todos os meus negócios se comunicam entre si e com minha essência. Isso torna possível agir sobre eles simultaneamente em projetos integrados.”

A possibilidade de retorno financeiro a curto, médio ou longo prazo, bem como a identificação pessoal com o negócio são os principais fatores que Picon analisa antes de investir em uma nova empresa. Ele não revela o faturamento atual, mas adianta que, no momento, não está aberto para o mercado. “Quero espalhar boas mensagens, sinto que o mundo precisa de novos salvadores e não de novos bilionários.”

Na pandemia, que virou o mundo de cabeça para baixo, Picon também esteve envolvido em reuniões com sócios e colaboradores de todas as empresas. “A área que eu mais contribuo acaba sempre sendo a de marketing, através de desenvolvimento ou execução de ações.” De acordo com ele, cada negócio teve um desempenho diferente: enquanto a Galleria não abre as portas desde março, a Approve viu o faturamento aumentar.

O próximo passo na trajetória empreendedora de Picon é compartilhar a própria experiência no dia 7 de outubro, na plataforma virtual do TEDx. Isso o colocará no seleto grupo de empresários que ajudam a inspirar empreendedores ao redor do mundo. Os detalhes da apresentação serão divulgados nos mesmos canais que o trouxeram até aqui: em suas redes sociais.

revistapegn.globo.com

Veja Também

QuintoAndar compra empresa de serviços para condomínios SíndicoNet

O valor da aquisição não foi revelado; a operação das duas empresas continuará independente A …