http://bit.ly/aFORÇAdoEMPREENDEDOR

Como enfrentar o medo e manter a motivação durante a pandemia

Sofia Esteves, fundadora da Cia. de Talentos, ensina como administrar emoções negativas causadas pelo cenário incerto

Como lidar com o novo normal? Nossas rotinas foram impactadas pelo novo coronavírus, há um medo pairando no ar sobre a situação econômica global e boa parte da população está passando pelo processo de luto.

Esse luto é pela ideia de normalidade, que já não existe mais. Além de que, há milhares de famílias, infelizmente, perdendo entes e amigos queridos. Não se fala sobre outra coisa em todos os jornais, então, como se manter motivado em meio a tudo isso?

Essa dúvida tem sido muito comum. Porém, o ser humano é dotado de um superpoder chamado neuroplasticidade. Isso significa que o nosso cérebro é capaz de construir novas redes neurais para se adaptar à novas experiências, sempre que necessário.

Simplificando, nosso sistema cerebral responde aos hábitos que criamos. Se todos os dias você acordava às 7h, tomava café da manhã e se locomovia para o trabalho, com sono, ou não, você estava adaptado a isso.

Agora, com a mudança de estilo de vida, nosso sistema está enfrentando um processo de colapso. Principalmente, pela ausência de rotina. Ele não sabe mais qual caminho deve seguir para estabilizar o sistema límbico – área responsável pelas nossas emoções.

Sendo assim, tem sido natural para muitos profissionais terem o seu sono desregulado, sonhos intensos, crises de irritabilidade, medo e ansiedade. E, claro, tudo isso impacta a motivação profissional.

Todas as vezes que precisamos nos adaptar a algo novo, acontece, primeiro, uma fase de resistência. Nosso cérebro não conhece o caminho e é mais confortável continuar no modelo antigo.

Quantas vezes você tentou enxergar a situação atual como algo passageiro? É só uma nuvem, daqui a pouco acaba! É esse o raciocínio da resistência, responsável por atrasar a nossa evolução.

Então surgem as reclamações, a procrastinação, a insegurança e uma infinidade de desculpas que contamos a nós mesmos para fugir da necessidade de mudança.

Acredito que essa seja uma das lições mais valiosas desse novo tempo. Se você tem medo de crescer, você tem coragem de que?

Somos seres muito criativos. Criamos rotas de fuga dignas de um roteiro de cinema para, simplesmente, não fazermos o que precisa ser feito. Mas, a realidade nos apertou. Não há mais espaço para desculpas. Não dá mais tempo. Precisamos crescer.

Tem um poema que gosto muito do Khalil Gibran – ‘O Amor’.

“…E da mesma forma que contribui para vosso crescimento,
Trabalha para vossa poda.
E da mesma forma que alcança vossa altura
E acaricia vossos ramos mais tenros que se embalam ao sol,
Assim também desce até vossas raízes
E as sacode no seu apego à terra.
Como feixes de trigo, ele vos aperta junto ao seu coração.
Ele vos debulha para expor vossa nudez.
Ele vos peneira para libertar-vos das palhas.
Ele vos mói até a extrema brancura.
Ele vos amassa até que vos torneis maleáveis.
Então, ele vos leva ao fogo sagrado e vos transforma
No pão místico do banquete divino.
Todas essas coisas, o amor operará em vós
Para que conheçais os segredos de vossos corações…”

O autor nos convida a perceber o amor, que tanto buscamos, como uma escola rigorosa de crescimento. Para que ele exista, precisamos estar nus. No sentido de desprovidos de personagens, personalidades e boas desculpas que nos protejam.

Ele nos convida à vulnerabilidade e revela que para nos amarmos, amar aos outros e colocar amor em todos os aspectos da nossa vida, precisamos de coragem para mudar.

Não é romântico, mas sim arte. A arte de viver. E é disso que precisamos. Sim, tudo mudou e continuará mudando e seus talentos não merecem ficar escondidos por trás do medo e da preguiça.

Eu preciso dos seus talentos em movimento colaborando com a sua empresa para que possamos atravessar essa fase com maestria, mostrando ao mundo que escolhemos crescer.

Você precisa que eu não desista de acreditar no poder da humanidade de se reinventar e continue investindo no sucesso da minha empresa, garantindo bons resultados e a empregabilidade de centenas de famílias.

Somos seres individuais, mas interdependentes. Nossa economia é uma cadeia de reações às nossas posturas. Perceba como a amizade e o senso de coletivo vão nos guiar para bons caminhos.

Invista na construção de novos hábitos, como: estabelecer uma rotina, práticas de autocuidado, dosar trabalho e vida pessoal, estudar sempre e, diariamente, lembrar-se do seu valor.

Você merece colocar o seu potencial em prática e o mercado precisa que você não se esqueça disso.

Pode confiar, estou fazendo a minha parte. Confio que você também fará o mesmo. Coragem, vamos conseguir.

Boa jornada!

 

Exame

Veja Também

Coronavírus expõe valor da saúde mental nas empresas, diz empreendedor

Para Romero Rodrigues, investidor e cofundador do Buscapé, preocupação com o bem estar dos funcionários …