quarta-feira , novembro 25 2020

“Aqui é um tribunal, não uma pista de corrida”, adverte ministro a advogada que “ingressou” em sessão dirigindo

O inusitado fato aconteceu durante sessão por videoconferência, hoje, na 1ª turma do STJ. O caso é inédito no STJ, mas já aconteceu algo semelhante na Bahia.

Em sessão por videoconferência nesta terça-feira, 20, advogada aparece para fazer sustentação oral dirigindo e, por isso, foi advertida pelos ministros da 1ª turma do STJ.

Ao permitir o ingresso da advogada na sala, o presidente da turma, o ministro Gurgel de Faria, notou que ela estava dirigindo. Disse então: “pelo jeito ela está dirigindo, não é o momento adequado para se pronunciar”, e frisou: “aqui é um tribunal, não uma pista de corrida.”

Mais adiante, o ministro disse que se a advogada voltar “ela terá todo direito a participar.”

A ministra Regina Helena destacou que “esta foi inédita, a gente precisa ter pelo menos um mínimo de respeito à formalidade”.

O caso, inédito no STJ, não é novo nestes tempos de pandemia.

Com efeito, seguindo a máxima atribuída a Octávio Mangabeira, segundo o qual, “pense num absurdo, na Bahia há precendente”, o caso de uma advogada dirigindo numa audência é justamente da terra de Jorge Amado.

Por: Redação do Migalhas

Veja Também

Brasileira que praticou advocacia sem licença na Flórida pega 4,5 anos de prisão

A brasileira R. A. Guedes, 41, foi reprovada duas vezes no exame de ordem da …