quinta-feira , outubro 29 2020

Taxa do cheque especial sobe pela 1ª vez em 2020 e vai a 112% ao ano

Juros médios do cartão de crédito caíram 1,8 ponto percentual, mas são de 310,2% ao ano, segundo BC. As duas categorias são as mais caras do mercado

taxa de juros do cheque especial registrou alta pela primeira vez no ano em agosto, depois de consecutivos meses de queda. A modalidade de crédito chegou ao patamar de 112,6% ao ano, aumento de 0,9 ponto percentual em relação a julho.

Já a taxa de juros do cartão de crédito caiu para 310,2%, queda de 1,8 ponto percentual em relação a julho. Mesmo assim, essa é a categoria de empréstimo mais cara do mercado. Por isso, o brasileiro deve evitá-la ao máximo a fim de não se endividar na conhecida “bola de neve”.

Os dados foram divulgados nesta segunda-feira (28), pelo BC (Banco Central). Os percentuais são as médias de juros cobrados pelos bancos dos clientes que tomam dinheiro emprestado nas duas modalidades – as mais caras disponíveis.

Cheque especial

A taxa de juros do cheque especial teve alta pela primeira vez em 2020 e foi a 112,6% ao ano. Nos meses anteriores, a modalidade registrou quedas consecutivas, e chegou ao seu menor patamar no ano em julho (111,7%).

Considerando a taxa do cheque especial, uma dívida de R$ 1.000, adquirida agora, por exemplo, irá custar R$ 2.126 daqui um ano, caso as condições permaneçam iguais. Isso quer dizer, na prática, que o valor dobra um ano depois.

Cartão de crédito

Cartão de crédito cobra juros mais altos do país

Cartão de crédito cobra juros mais altos do país
arcello Casal Jr/Agência Brasi

A taxa de juros do cartão de crédito voltou a cair e agora está em 310,2% ao ano na média praticada pelos bancos brasileiros. Trata-se de um leve recuo em relação aos 312% ao ano registrados em julho.

Seguindo o mesmo exemplo usado acima, uma dívida de R$ 1.000, adquirida em agosto de 2020 no cartão de crédito, chegará a custar R$ 4.102 em agosto de 2021, se as condições se mantiverem as mesmas. Ou seja, o valor pago é quatro vezes maior do que a dívida inicial.

Alternativas de crédito

Como forma de fugir das taxas de juros do cheque especial e do cartão de crédito, uma boa alternativa é o crédito consignado. A modalidade registrou taxa de 18,9% ao ano, em média, em agosto, o sexto recuo em 2020.

Levando em conta a mesma dívida hipotética de R$ 1.000 tomada em agosto de 2020, o valor devido custará R$ 1.189 no ano que vem, caso as circunstâncias se mantenham as mesmas.

Nesta modalidade, uma das mais baratas disponíveis, o dinheiro é diretamente descontado da folha de pagamento do salário do trabalhador ou da aposentadoria.

 

R7

Veja Também

TRF4 nega habeas corpus para ex-servidor da Justiça do Trabalho condenado por praticar advocacia administrativa

Definido pelo artigo 321 do Código Penal, o delito de advocacia administrativa consiste em patrocinar, …