SP nega fim de impasse e ameaça levar Ministério da Saúde à Justiça por falta de vacinas

Secretário de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn negou nesta segunda-feira que o impasse com o Ministério da Saúde pela entrega de vacinas da Covid-19 ao estado tenha chegado ao fim. Ele, inclusive, ameaçou levar a pasta à Justiça caso o governo paulista não receba as doses que diz estar faltando.

“Acredito que esse assunto será resolvido e nós receberemos as doses que temos direito. Repito que São Paulo não está devendo ao ministério. Não queríamos aderir à judicialização, mas…”, argumentou Gorinchteyn, de acordo com o UOL.

O imbróglio entre São Paulo e Ministério da Saúde começou na semana passada, quando o governo de João Doria (PSDB) afirmou ter recebido metade dos imunizantes da Pfizer prometidas pela pasta. Foram entregues 228 mil doses, mas o estado esperava o dobro disso.

“O número representa 50% a menos do que o governo de São Paulo tem direito de receber dentro do PNI. A última remessa foi reduzida pela metade sem nenhuma justificativa. Decisão arbitraria. O Ministério da Saúde compromete a vacinação de crianças e adolescentes em SP previsto para iniciar no dia 17 de agosto”, afirmou Doria na época.

Gorinchteyn ameaçou judicializar a questão com o Ministério da Saúde (Alexandre Schneider/Getty Images)

Diante da acusação do governador, o Ministério rebateu e afirmou que São Paulo recebera menos doses porque retirou mais vacinas do que o previsto em outras entregas. Imediatamente, o estado classificou a informação como “mentirosa”.

Doria considerou que o governo paulista estava sendo vítima de “perseguição” por estar com a vacinação mais avançada. O impasse fez com que uma reunião entre Gorinchteyn e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, fosse marcada para a última sexta-feira, mas o encontro acabou sem acordo.

“Conversamos com a equipe técnica do ministério e havia uma discordância com a nossa secretaria. Esses dados não batiam. Portanto, São Paulo não entende seu débito com o país. Muito pelo contrário, estamos tendo a preocupação de antecipar o carregamento que seria entregue”, disse o secretário.

Veja como está previsto o calendário no estado de São Paulo:

  • 5 a 9 de agosto: 25 a 27 anos
  • 10 a 16 de agosto: 18 a 24 anos
  • 18 a 29 de agosto: 12 a 17 anos com comorbidades, deficiências, gestantes e puérperas
  • 30 de agosto a 5 de setembro: 15 a 17 anos
  • 6 a 12 de setembro: 12 a 14 anos

Yahoo

Veja Também

Governadores pedem encontro com Toffoli para debater fim do ICMS diferenciado em energia

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – Os governadores têm solicitado um encontro com o ministro Dias Toffoli …