quinta-feira , outubro 22 2020

Pesquisa mostra perfil dos criminosos em Teresina

O Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário – GMF, do Tribunal de Justiça, a Vara de Execuções Penais de Teresina – VEP e o Instituto Camilo Filho – ICF apresentaram ontem, dia 9 de abril, na Sala de Audiências da VEP, os resultados da pesquisa sobre causas da criminalidade, realizada com apenados por crime de roubo.

A apresentação foi feita pelo juiz José Vidal de Freitas Filho, coordenador do GMF e juiz da VEP e pela professora Adriana Ferro, coordenadora do curso de Direito da Camilo Filho.

A pesquisa foi realizada de maio a agosto de 2017, por estudantes de direito do ICF, com 28 pessoas com processo de execução penal em tramitação na VEP de Teresina e que estavam em regime aberto ou livramento condicional.

A pesquisa concluiu que a grande maioria dos condenados por crimes violentos contra o patrimônio, são homens jovens, que cometeram o crime entre as idades de 22 a 25 anos, com renda familiar de até 2 salários mínimos e que não completaram o ensino fundamental, o que demonstra a necessidade de uma atenção maior a esta faixa etária.

A grande maioria declarou o consumo de álcool e drogas e que este fator foi determinante para o cometimento do crime.

A precariedade das relações familiares, a baixa renda, experiências familiares ruins na infância, o exemplo negativo dos pais e/ou cuidadores também foram relatos recorrentes entre os interlocutores.

A influência dos amigos, ganhar dinheiro rápido e fácil, para ter acesso a bens que lhes eram inalcançáveis também determinaram a conduta de vários dos sujeitos.

Segundo o juiz Vidal de Freitas, a realização da pesquisa teve o objetivo de colher dados para a embasar a atuação do estado e da sociedade civil na prevenção dos crimes, especialmente do crime de roubo, que tanto perturba a sociedade, constituindo-se em uma importante contribuição do poder judiciário para a adoção de políticas em prol da redução da violência e da criminalidade.

Fonte: Ascom

Veja Também

Uso desenfreado de antibióticos na pandemia pode levar a ‘apagão’ contra bactérias resistentes

Mesmo sem eficácia ou necessidade comprovada para a covid-19, antibióticos foram amplamente usados contra o …