Nova Zelândia afirma que ‘venceu novamente’ o coronavírus

Premiê neozelandesa suspendeu as restrições em Auckland após 12 dias sem novos casos de Covid-19; antes, o país chegou a ficar mais de 100 dias sem registrar infecções pelo novo coronavírus.

A primeira-ministra da Nova ZelândiaJacinda Ardern, anunciou nesta segunda-feira (5) o fim das restrições ordenadas em Auckland para frear uma segunda onda da epidemia de Covid-19. Ela disse ainda que seu país “venceu novamente o vírus”.

“Os habitantes de Auckland e os neozelandeses se submeteram a um plano que funcionou duas vezes e venceram o vírus novamente”, disse Ardern.

 

Há 12 dias a maior cidade do país não registra novos casos de Covid-19. A chefe do governo afirmou que a epidemia está sob controle e elogiou os habitantes que “precisaram enfrentar um novo confinamento”.

Ardern anunciou ainda que, a partir de quarta-feira (7), Auckland passará ao nível 1 de alerta sanitário, o mesmo em vigor no restante do país. Isto significa o fim das restrições para reuniões públicas e eventos esportivos – como o campeonato de Rugby, esporte popular no país.

Moradores se exercitam no parque Hagley em Christchurch, na Nova Zelândia quando o país completou 100 dias sem transmissão de coronavírus  — Foto: Mark Baker/AP

Moradores se exercitam no parque Hagley em Christchurch, na Nova Zelândia quando o país completou 100 dias sem transmissão de coronavírus — Foto: Mark Baker/AP

Primeira onda

primeira onda de coronavírus foi contida no fim de maio com um confinamento nacional, depois disso, o arquipélago chegou a registrar 102 dias sem transmissões comunitárias – aquelas que acontecem internamente, sem considerar casos importados.

Em agosto, as autoridades detectaram um novo foco da doença em Auckland, o que levou o governo a ordenar um novo confinamento que afetou 1,5 milhão de habitantes. As restrições mais severas duraram três semanas.

O arquipélago do Pacífico Sul, que tem cinco milhões de habitantes, registrou apenas 25 mortes por Covid-19 e menos de 1,9 mil casos. Nesta segunda-feira o país tinha apenas 40 casos ativos de coronavírus.

Ainda assim, a primeira-ministra pediu aos neozelandeses que permaneçam em alerta e lamentou o uso cada vez menor do aplicativo oficial de rastreamento de Covid-19, assim como a queda no número de testes.

G1

Veja Também

Coronavírus: mundo chega a 11 mil mortes diárias pela primeira vez desde o início da pandemia

O número global chega a esse pico, segundo dados da universidade de John Hopkins, em …