terça-feira , dezembro 7 2021

Minas rescinde contrato com o jogador Maurício Souza, após comentário homofóbico

O Minas Tênis Clube rescindiu contrato com o jogador de vôlei Maurício Souza, depois de comentários homofóbicos que ele publicou na internet.

Há duas semanas, o jogador fez em uma rede social um comentário homofóbico a respeito da orientação sexual de um personagem de história em quadrinhos, o filho do Super-Homem, que é bissexual.

Inicialmente, o Minas defendeu o que chamou de “liberdade para se expressar livremente”, e não puniu o jogador. Mas após pressão pública e de patrocinadores, decidiu aplicar multa, afastar o atleta por tempo indeterminado e também exigiu uma retratação.

Mauricio Souza publicou um pedido de desculpas, disse que respeita todos e sempre respeitou, dentro e fora de quadra, mas voltou a reforçar uma posição homofóbica, dizendo defender aquilo em que acredita. O Minas, então, rescindiu o contrato com o jogador.

A criminalização da homofobia e da transfobia prevê que praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito em razão da orientação sexual da pessoa poderá ser considerado crime.

Personalidades do vôlei, como as campeãs olímpicas Sheila e Fabi, reforçaram o combate à homofobia, além do ponteiro Douglas, que foi companheiro de Maurício na seleção brasileira nas Olimpíadas de Tóquio.

“Não dá para em pleno 2021 as pessoas acharem que liberdade de expressão é você ser homofóbico”, diz Douglas.

Em entrevista ao jornal O Globo, o técnico Renan Dal Zotto afirmou que a seleção brasileira não tem espaço para profissionais homofóbicos.

O Jornal Nacional procurou Mauricio Souza, mas o jogador não quis se manifestar.

*Veja o vídeo da matéria na íntegra, aqui

Fonte: g1.globo.com

Veja Também

Juíza suspende atividade profissional de sete advogados suspeitos de fraude; OAB-GO vai recorrer

Sete advogados tiveram a atividade profissional suspensa cautelarmente, por força de decisão judicial, por suspeita …