Manifestantes que ameaçaram ministro vão para prisão domiciliar

Antonio e Jurandir foram presos depois de participarem de protesto contra Alexandre de Moraes e denunciados por ameaça, injúria e difamação

A Justiça de São Paulo concedeu o alvará de soltura a Antonio Carlos Bronzeri e Jurandir Alencar por volta das 16h de sexta-feira (3), de acordo com a SAP (Secretaria de Administração Penitenciária). Ambos estavam presos no CDP III de Pinheiros, em São Paulo, e vão cumprir prisão domiciliar.

Bronzeri e Alencar participaram de um protesto em frente ao prédio do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes, em São Paulo, em 2 de maio. A dupla foi denunciada pelo MPSP (Ministério Público de São Paulo) por crimes de ameaça, injúria e difamação. O TJSP (Tribunal de Justiça de São Paulo) aceitou a denúncia e os dois se tornaram réus.

O TJSP informou que o processo tramita em segredo de justiça e não é possível passar qualquer informação do processo.

Pedido de prisão

Bronzeri e Alencar foram presos no dia 16 de junho na Vila Mariana, zona sul de São Paulo. De acordo com o boletim de ocorrência, a prisão foi em “via pública”.

O pedido de prisão preventiva foi expedido pela juíza Ana Carolina Netto Mascarenhas, após decisão judicial da Vara de Plantão Judiciário de São Paulo.

Bronzeri e Alencar foram detidos no dia do ato, porém foram liberados posteriormente mediante a pagamento de fiança.

 

R7

Veja Também

Decreto que considera atividades religiosas essenciais entra em vigor

Governo reforça que templos devem seguir medidas sanitárias como ocupação limitada, distanciamento social e uso …