sexta-feira , novembro 27 2020

Maioria no STF concorda com retorno à prisão de André do Rap

Narcotraficante deixou a penitenciária na sexta-feira (9) após determinação de Marco Aurélio de Mello. Presidente do STF, Luiz Fux, suspendeu a decisão

A maioria dos ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) avalia como correta a decisão de Luiz Fux, que determinou retorno imediato do narcotraficante André de Oliveira Macedo, mais conhecido como André do Rap, à prisão.

O narcotraficante, suposto líder da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), havia sido preso em uma mansão em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, em setembro de 2019. No entanto, deixou a Penitenciária II de Presidente Venceslau, no interior paulista, na última sexta-feira (9) após determinação do ministro do STF Marco Aurélio de Mello.

A decisão, contudo, foi revertida pelo presidente da Corte no último sábado (10). Fux suspendeu a ação que deu liberdade a André do Rap e afirmou que a decisão tem como objetivo “evitar grave lesão à ordem e à segurança pública”.

De acordo com a maioria dos ministros do STF, ouvidos pela reportagem, a decisão de Fux é correta pela alta periculosidade do narcotraficante, que é suspeito de chefiar um esquema de envio de drogas para a Europa.

São Paulo
A decisão que concedeu liberdade ao narcotraficante foi criticada pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB). Nas redes sociais, o tucano disse estar perplexo com a soltura. “O ato foi um desrespeito ao trabalho da polícia de São Paulo e uma condescendência inaceitável com criminosos”, afirmou.

Polícia Civil paulista montou uma força-tarefa para recapturar André do Rap. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, equipes do DEIC (Departamento Estadual de Investigações Criminais), DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) e DOPE (Departamento de Operações Policiais Estratégicas) estão nas ruas para tentar prender, novamente, o narcotraficante.

André do Rap teria ido de carro para Maringá, no Paraná, onde havia um avião particular à sua espera. Investigadores acreditam que o narcotraficante tenha seguido para o Paraguai.

Ministro da Justiça
O ministro da Justiça, André Mendonça, afirmou que chefes do crime organizado deveriam permanecer presos. A declaração é uma resposta do governo federal à soltura de Andre do Rap.

“A decisão foi revertida. Na nossa visão, o crime de tráfico de drogas é gravíssimo. Um crime que corrói as estruturas da sociedade brasileira e do estado democrático. E que os traficantes de drogas, principalmente aqueles que exercem uma alta função nos comandos do crime organizado, devem permanecer presos”, afirmou Mendonça, em Cuiabá (MT).

R7

Veja Também

Comissão de juristas vai elaborar projeto sobre normas de processo constitucional

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, instituiu nesta terça-feira (24/11) uma comissão de …