Justiça nega pedido de bloqueio das contas bancárias do Hospital Casamater

A decisão foi dada na última segunda-feira (28) pelo juiz Derivaldo de Figueiredo Bezerra Filho, da 4ª Vara Federal de Execução Fiscal da Seção Judiciária de Teresina.

A Justiça Federal negou pedido de indisponibilidade dos ativos financeiros do Hospital Casamater (atualmente HTI Sul) feito pela União Federal em ação de execução fiscal. A decisão foi dada na última segunda-feira (28) pelo juiz Derivaldo de Figueiredo Bezerra Filho, da 4ª Vara Federal de Execução Fiscal da Seção Judiciária de Teresina.

Ao negar o pedido liminar, o juiz relata que é imprescindível, segundo a lei de execução fiscal, a citação do devedor antes de qualquer ato constritivo, conforme previsto nos arts. 7º e 8º da Lei 6.830/80, sob pena da violação do devido processo legal.

O magistrado indeferiu o pedido de bloqueio liminar de dinheiro em espécie, em depósito ou aplicação financeira, de titularidade da Hospital Casamater e determinou a citação para que o débito seja pago ou que seja garantida a execução, no prazo de cinco dias.

“Decorrido o prazo legal, sem pagamento do débito ou garantia da execução, determino, nos termos do art. 185-A do CTN, a penhora on-line, pelo Sistema SISBAJUD, em quantia suficiente à satisfação do crédito, devendo a constrição recair sobre os numerários depositados em contas bancárias da parte executada”, diz a decisão.

A Casamater tem um débito de R$ 74.147.756,89 (setenta e quatro milhões, cento e quarenta e sete mil, setecentos e cinquenta e seis reais e oitenta e nove centavos) referentes a débitos tributários, dívidas previdenciárias, multas trabalhistas, dentre outras.

 

Gp1

Veja Também

Após um ano de aprovada,Lei das Sociedades Anônimas de Futebol tem balanço positivo

Sob pelo menos três pontos de vista, a lei que criou as sociedades anônimas do …