Funcionários da Apple começam a voltar à sede da empresa

A fabricante americana criadora do iPhone tem pressa para voltar fisicamente após quarentena pelo coronavírus, diferentemente de Facebook, Google e Twitter

Apple inicia nesta segunda-feira (15) a sua retomada após a quarentena em razão da pandemia do novo coronavírus. Um pequeno grupo funcionários da companhia americana retorna à sede da empresa na Califórnia, nos Estados Unidos, enquanto os demais continuam a trabalhar de suas casas.
Para o retorno, a Apple pede que seus colaboradores façam testes de covid-19 oferecidos pela própria empresa.

A criadora do iPhone é um ponto fora da curva no mercado de tecnologia do Vale do Silício. Companhias como Facebook e Google, por exemplo, seguem mantendo todos os seus colaboradores trabalhando de casa e devem permanecer nesse modelo, pelo menos, até o fim do ano. O Facebook prevê até mesmo que metade de sua força de trabalho até 2030 realize trabalho remoto. O Twitter foi ainda mais longe e disse que seus funcionários podem trabalhar de casa para sempre.

O negócio da Apple, entretanto, é diferente por envolver não apenas software, mas também hardware, algo que pode aumentar a necessidade da presença física de funcionários no escritório da empresa. Em maio, a Apple reabriu cerca de 30 lojas nos Estados Unidos.

A WWDC, como é chamada a maior conferência de desenvolvedores da Apple, será realizada via internet no dia 22 de junho. Esse é um dos principais motivos da volta de funcionários ao escritório à sede, localizada na cidade Cupertino, na região do Vale do Silício. O evento vai ser apresentado direto do escritório da companhia.

“Vamos apresentar a WWDC 2020 em junho de uma maneira inovadora para que milhões de desenvolvedores em todo o mundo experimentem essa nova forma de interação”, afirmou, em nota Phil Schiller, vice-presidente sênior de marketing global da Apple. “A situação de saúde atual nos obrigou a criar um novo formato para a WWDC 2020 que ofereça uma programação completa com keynotes e sessões online.”

As demais empresas de tecnologia americanas preveem uma volta aos escritórios a partir do mês de julho. O esforço da Apple visa minimizar os atrasos provocados pela pandemia do novo coronavírus. Afinal, setembro, historicamente, é o mês de apresentação de novos iPhones.A fabricante americana criadora do iPhone tem pressa para voltar fisicamente após quarentena pelo coronavírus, diferentemente de Facebook, Google e Twitter.

 

Exame

 

Veja Também

“Você precisa abdicar de algumas coisas para fazer dar certo”, diz Isabela Matte, que ficou milionária aos 14 anos

“Eu só descobri que já tinha conquistado meu primeiro milhão há pouco tempo”, conta a empreendedora e …