Empreendimento é um caminho almejado pelos jovens, diz pesquisa

Uma pesquisa realizada pelo Nube – Estagiários e Aprendizes perguntou aos jovens qual o interesse deles em ter o próprio negócio. Dos 3.728 entrevistados que responderam a pergunta, 45,14% disseram que sonham em ter uma empresa e ser independente. Esse total corresponde a 1.683 votos.

Já 33,26% estão indecisos, investindo talvez no futuro, o que equivale a 1.240 dos participantes. Teve, também, a preferência por estabilidade e segurança, totalizando 17,17% dos jovens.

É preciso entender que empreendimento é algo que leva tempo, 2,41% tem a impressão de que empreender resultaria em um ganho maior e carga horária reduzida. Hugo Domenech, analista de treinamento e desenvolvimento da Nube, diz que o objetivo almejado por esses jovens só é atingido após um período, isto é, ao abrir uma empresa, o dono assume várias funções, antes de conseguir fixar o novo negócio.

Há o medo de fracassar devido aos desafios enfrentados pelos empreendedores, em que é preciso equilibrar a vida pessoal com o lado profissional. Domenech, ainda, afirma que é preciso ser prudente e investir recursos, tempo, entre outros, de forma a não prejudicar as finanças ou demandas do cotidiano do empreendedor, alertando dos riscos de todo início. Segundo ele, provavelmente não haverá retornos suficientes para substituir uma ocupação formal.

“Este período é indispensável para entender os impasses e adquirir experiência prática. Com o tempo, você poderá considerar a transição para dedicar-se integralmente”, destaca Domenech.

O resultado da pesquisa é considerado surpreendente pelo contraste do desemprego e o aumento desse mercado. Segundo o Sebrae, houve uma melhora de 9%. De acordo com os dados da pesquisa, é possível ter uma expectativa positiva do setor, com os jovens investindo em empreendimentos desde agora até no futuro.

Ana Clara de Lima
Estagiária de jornalismo, sob supervisão.

Imagem:Ascom CFA/Divulgação

Fonte:Assessoria de Comunicação CFA

Veja Também

Inflação oficial fica em 0,38% em abril deste ano

Alimentos e remédios puxaram alta de preços O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo …