terça-feira , outubro 20 2020

Eletrobras receberá Termo de Ajuste de Conduta

A Defensoria Pública do Estado do Piauí, por meio do Núcleo Especializado de Defesa do Consumidor (Nudecon), realiza, na sexta-feira (23), audiência pública tendo por objetivo discutir a qualidade do serviço prestado pela concessionária de energia Eletrobras em Teresina. A referida audiência será realizada a partir das 9h, no auditório da Casa de Núcleos da DPE-PI, na Avenida Nossa Senhora de Fátima, 1342, Bairro de Fátima.

A audiência será presidida pelos defensores públicos do Nudecon, Alessandro Andrade Spíndola, titular da 1ª Defensoria Pública do Consumidor; Luciana Moreira Ramos Araújo, titular da 2ª Defensoria Pública do Consumidor e coordenadora do Nudecon; e Ângela Soares Barros, titular da 3ª Defensoria Pública do Consumidor, tendo como convidados representantes do Procon estadual, OAB/PI, Procon Assembleia e Defensores Públicos que atuam na defesa do consumidor, além de associações de bairros, movimentos sociais, diretores de escolas e hospitais municipais e estaduais, conselhos tutelares, presidente da associação de hotéis, bares, restaurantes e similares e representantes da Eletrobras Piauí.

O que motivou a audiência pública para discutir a qualidade do serviço prestado pela Eletrobras em Teresina foram as reclamações das inúmeras e reiteradas interrupções e ou oscilações de energia na capital, que motivaram prejuízos incontáveis à população. Na oportunidade, serão discutidos a forma de recuperação de energia e aplicação de multa, cortes indevidos, assim como negativações indevidas dos consumidores nos cadastros de crédito.

A audiência também se destinará à assinatura de Termo de Ajuste de Conduta e demais medidas pertinentes à situação.

“Esta audiência pública será uma oportunidade para que a sociedade seja realmente ouvida em seus anseios, tire dúvidas e façam reclamação sobre a qualidade de distribuição de energia na sua casa, em seu bairro, na sua cidade”, afirma o defensor público  Alessandro Andrade Spíndola, titular da 1ª Defensoria Pública do Consumidor.

Fonte: Ascom

Veja Também

Bolsonaro critica mais uma vez carteira da OAB

“Não pode a pessoa se formar e não poder trabalhar”, disse o presidente para apoiadores …