quarta-feira , dezembro 8 2021

Eleição da direção do TJ-SP é nesta quarta-feira; conheça os candidatos

O Tribunal de Justiça de São Paulo conhecerá nesta quarta-feira (10/11) seu novo presidente para o biênio 2022-2023. Ao todo, 356 desembargadores participam da eleição, que ocorre apenas pela internet, com transmissão online dos resultados para evitar aglomeração no Palácio da Justiça.

O primeiro turno da votação começou à 0h e vai até o meio-dia. O segundo turno, se necessário, vai das 13h às 16h. Além do presidente, os desembargadores também vão eleger vice-presidente, corregedor-geral de Justiça, presidentes das Seções de Direito Privado, Público e Criminal, e a direção da Escola Paulista da Magistratura.

Quem assumir os cargos de direção terá pela frente a missão de comandar pelos próximos dois anos o maior tribunal do país, com orçamento anual acima de R$ 12 bilhões, valor superior ao de muitos estados. Vinte e cinco por cento do total de processos que tramitam no Brasil estão no Judiciário paulista.

Além dos desembargadores, o TJ-SP conta com 2,6 mil juízes de primeira instância, 42 mil servidores ativos, 21 mil inativos, 11 mil estagiários de ensino médio e superior, 700 prédios e uma rede de bens e serviços distribuídos em 320 comarcas.

Conheça os três candidatos à presidência

TJ-SPDesembargador Luís Soares de Mello

Luís Soares de Mello nasceu em São Paulo em 1952 e é bacharel em Direito pela FIG-Unimesp, turma de 1977. Aos 69 anos, dedicou mais de 40 à magistratura, já que ingressou na carreira em 1979. Só na segunda instância, são 27 anos de atuação. Assumiu o cargo de desembargador do TJ-SP em 2005, com cadeira na 4ª Câmara de Direito Criminal. Antes de entrar na área criminal, também atuou no TRE e foi juiz da Fazenda Pública. Além disso, foi membro eleito do Órgão Especial no biênio 2012-2014.

TJ-SPDesembargador Ricardo Anafe

Nascido no Rio de Janeiro, Ricardo Anafe tem 62 anos, sendo 36 de atuação na magistratura. É bacharel em Direito pela PUC-SP, turma de 1981, com especialização em Direito Processual pela mesma universidade. Atuou como juiz substituto em segundo grau de 2003 e 2008, quando foi promovido ao cargo de desembargador do TJ-SP. Também presidiu a Seção de Direito Público no biênio 2014-2015 e foi eleito para o Órgão Especial em 2016. Em 2019, venceu a disputa para a Corregedoria-Geral de Justiça na segunda vez em que concorreu ao cargo.

ConJurDesembargador Carlos Henrique Abrão

Já Carlos Abrão nasceu em São Paulo, é bacharel em Direito pela USP, mestre e doutor em Direito Comercial pela USP, além de pós-doutor pela Universidade de Sorbonne, na França. Também estudou em instituições de ensino de Portugal e da Alemanha. É juiz desde 1987 e ingressou no TJ-SP em 2013. Atualmente, é presidente da 14ª Câmara de Direito Privado. Leciona na pós-graduação da Escola Paulista de Direito e já publicou mais de 30 obras.

Candidatos à vice-presidência
Guilherme Gonçalves Strenger
 foi eleito em primeiro turno em 2019 para comandar a Seção de Direito Criminal do TJ-SP. Tem 70 anos, nasceu em São Paulo, é bacharel em Direito pela USP, turma de 1974, e mestre em Direito Civil pela mesma universidade. Atuou na advocacia até 1980, quando ingressou na magistratura. Foi promovido a desembargador em 2005.

Walter da Silva nasceu em São Paulo em 1949, é bacharel em Direito pela FIG, turma de 1976, e mestre em Direito Penal pela Mackenzie. Ingressou na magistratura em 1984 e passou pelas comarcas de Jundiaí, Itaporanga, Lorena e São Paulo. Foi juiz substituto em segundo grau de 2005 a 2009, quando foi promovido ao cargo de desembargador. Atualmente, tem cadeira na 14ª Câmara de Direito Criminal.

Álvaro Augusto dos Passos é natural de São Paulo e tem 65 anos. É bacharel em Direito pela USP, turma de 1980, pós-graduado em Filosofia do Direito e mestre em Direito pela PUC-SP. Ingressou na magistratura em 1985 e atuou em Mogi das Cruzes, Santo André, Eldorado Paulista, Ferraz de Vasconcelos e São Paulo. Foi juiz substituto em segundo grau de 2005 a 2011, quando foi promovido a desembargador. Foi membro eleito do Órgão Especial por dois mandatos e atua na 2ª Câmara de Direito Privado.

Candidatos à Corregedoria-Geral de Justiça
Mário Devienne Ferraz
 nasceu em Ourinhos (SP) em 1953, é bacharel em Direito pela Unisantos, turma de 1977, com especialização em Processo Penal pela PUC-SP. Ingressou na magistratura em 1979 e atuou em comarcas como Mauá, São Caetano do Sul e São Paulo. De 1993 a 1996, foi juiz substituto em segundo grau, depois magistrado do Tacrim e, desde 2005, é desembargador. Também atuou no TRE entre 2010 e 2015 e presidiu a Corte Eleitoral no biênio 2016-2017. Atualmente, tem cadeira na 1ª Câmara de Direito Criminal.

Carlos Eduardo Cauduro Padin nasceu em São Paulo, em 1949, é bacharel em Direito pela Universidade Mackenzie, turma de 1974, e professor de Direito Comercial desde 1991. Se tornou juiz em 1982 e passou por Martinópolis, Porto Feliz, São Bernardo do Campo e São Paulo. Foi juiz substituto em segundo grau entre 1995 e 2004, depois magistrado do 1º Tribunal de Alçada Civil e, desde 2005, é desembargador. Também foi presidente, vice-presidente e corregedor do TRE. Hoje, atua na 13ª Câmara de Direito Privado.

Fernando Antonio Torres Garcia nasceu em São Paulo em 1959, é bacharel em Direito pela USP, turma de 1982, com especialização em Direito Penal e em Direito Processual Penal. Ingressou na magistratura em 1983 e atuou nas comarcas de Osasco, Mirandópolis, Indaiatuba, Diadema e São Paulo. Em 2008, foi promovido ao cargo de desembargador. Também presidiu a Seção de Direito Criminal no biênio 2018-2019 e tem cadeira na 14ª Câmara de Direito Criminal.

Dimas Rubens Fonseca nasceu em Paraibuna (SP) em 1953, e é o atual presidente da Seção de Direito Privado. Bacharel em Direito pela Univap, turma de 1984, foi oficial de Justiça de 1976 a 1986 e, depois, promotor do MP-SP por dois anos. Em 1987, ingressou na magistratura. Como juiz, atuou em Taubaté, Itaporanga, Caçapava e São Paulo. Entre 2008 e 2013, foi juiz substituto em segundo grau, e depois foi promovido a desembargador.

Veja a lista completa de candidatos à direção do TJ-SP

Presidência
Luis Soares de Mello Neto
Ricardo Mair Anafe
Carlos Henrique Abrão

Vice-Presidência
Guilherme Gonçalves Strenger
Walter da Silva
Álvaro Augusto dos Passos

Corregedoria-Geral da Justiça
Mário Devienne Ferraz
Carlos Eduardo Cauduro Padin
Fernando Antonio Torres Garcia
Dimas Rubens Fonseca

Presidente da Seção de Direito Criminal
Francisco José Galvão Bruno
Alex Tadeu Monteiro Zilenovski

Presidente da Seção de Direito Público
Ricardo Cintra Torres de Carvalho
Wanderley José Federighi

Presidente da Seção de Direito Privado
Antonio Carlos Mathias Coltro
Artur César Beretta da Silveira
Luiz Fernando Salles Rossi

Escola Paulista da Magistratura

Chapa: Ruy Alberto Leme Cavalheiro
Diretor: Ruy Alberto Leme Cavalheiro
Vice-Diretor: Miguel Marques e Silva
Seção de Direito Privado: Francisco Giaquinto
Seção de Direito Privado: Daise Fajardo Nogueira Jacot
Seção de Direito Público: José Manoel Ribeiro de Paula
Seção de Direito Público: Amaro José Thomé Filho
Seção de Direito Criminal: Ronaldo Sérgio Moreira da Silva
Seção de Direito Criminal: Francisco Orlando de Souza
Juiz de entrância final: Paulo Eduardo de Almeida Sorci

Chapa: José Maria Câmara Júnior
Diretor: José Maria Câmara Júnior
Vice-Diretor: Gilson Delgado Miranda
Seção de Direito Privado: Ademir de Carvalho Benedito
Seção de Direito Privado: Alcides Leopoldo e Silva Júnior
Seção de Direito Público: Mônica de Almeida Magalhães Serrano
Seção de Direito Público: Vicente de Abreu Amadei
Seção de Direito Criminal: Roberto Caruso Costabile e Solimene
Seção de Direito Criminal: Gilda Cerqueira Alves Barbosa Amaral Diodatti
Juiz de entrância final: Camila de Jesus Mello Gonçalves

Conjur

 

 

Veja Também

STF dá 48 h para o governo tomar uma decisão sobre o passaporte da vacina

Barroso pede manifestação do governo sobre passaporte da vacina O ministro do Supremo Tribunal Federal …