Da Costa e Silva e Mandu Ladino estrelam livros de HQs

Dois personagens da cultura piauiense protagonizam duas publicações que serão lançadas no próximo sábado (14), às 18h30, na Livraria Anchieta, em Teresina. O livro “Mandu Ladino em quadrinhos” resgata a história do herói indígena brasileiro. A publicação “Da Costa e Silva em quadrinhos” aborda aspectos da vida e obra do poeta amarantino, um dos mais festejados poetas regionais.

As edições serão lançadas, por meio da coleção “Gente Querida”, idealizada pelos professores Cineas Santos e Wilson Seraine. A iniciativa pretende popularizar a trajetória de nomes importantes da cultura estadual. “A primeira versão, lançada no ano passado, homenageou a cantora Maria da Inglaterra. Este ano, o volume 2, escrito por Nelson Nery e ilustrado por Caio Oliveira, traz o legado de Da Costa. O volume 3, escrito por Leandro Fernandes e ilustrado por Rogério Narciso, apresenta a figura do Mandu Ladino”, explica Wilson Seraine, um dos organizadores das obras.

Pesquisador do Cangaço, o médico cardiologista Leandro Fernandes considera Mandu Ladino um precursor de Lampião. O herói indígena travou combates em defesa da vida dos índios e retaliou o poder constituído na época.

“Tentei encontrar algo sobre Mandu Ladino na literatura piauiense e achei pouca coisa. Foi quando chegou às minhas mãos o romance ‘Mandu Ladino’, escrito por Anfrísio Lobão Castelo Branco. A obra nos ofertou uma base histórica. Após pesquisas e com o traço sólido do ilustrador Narciso, conseguimos definir o roteiro da história e uma imagem para Mandu. Nosso trabalho ficou interessante, fidedigno e deve ser colocado nas escolas. Deve ter visibilidade porque ele mostra um personagem esquecido da nossa história. Devemos proporcionar essa oportunidade para que os jovens tenham contato com o referencial histórico que ele representa”, destaca Leandro Fernandes.

Na apresentação da história em quadrinhos sobre Da Costa e Silva, Cineas Santos afirma que o mais festejado dos poetas piauienses é, paradoxalmente, um dos menos lidos da literatura regional. “Quando se fala de Da Costa e Silva, invariavelmente alguém afirma: ‘O grande poeta de Saudade’. A conversa não prospera. Os que se arriscam um pouco mais chegam à letra do Hino do Piauí. Convenhamos que é pouco para um poeta da estatura dele. Então, nada mais louvável que a edição deste livro”, diz o professor.

Nelson Nery Costa, presidente da Academia Piauiense de Letras (APL) e escritor do HQ sobre Da Costa e Silva conta que preparou o roteiro de storyboard ou esboço sequencial das imagens que serviram de inspiração para o ilustrador Caio Oliveira. “O Caio é um brilhante desenhista do nosso Estado. Ele trabalhou de uma forma muito bonita e com a verne da sua arte. Submeti nossa produção ao embaixador Alberto da Costa e Silva, filho do poeta. Ele afirmou que Da Costa e Silva ficaria feliz ao ver a sua vida em forma de história em quadrinhos. Ele era um excelente desenhista”, acrescenta Nelson Nery.

 

Veja Também

PRO Piauí Educação tem mais de 400 projetos para melhorar infraestrutura de escolas

O governador Wellington Dias conduziu, nesta sexta-feira (23/04), uma reunião de monitoramento do PRO Piauí …