quarta-feira , outubro 21 2020

Clima de Natal nos supermercados

O Natal é uma das datas mais importantes para o varejo como um todo e no setor supermercadista isso pode ser traduzido especialmente com as vendas de panetones, vinhos e espumantes. Estes são produtos que não faltam na mesa do consumidor seja antes, durante e até mesmo depois das comemorações do Natal e do Ano Novo.

De acordo com estudo da Kantar Worldpanel, mais de 29 milhões de famílias consumiram panetones de novembro de 2017 a janeiro deste ano, atingindo 53,2% dos lares. “É um crescimento importante que mostra que, apesar da crise, o consumidor se permite vivenciar momentos de consumo especiais. A expectativa para esse ano é otimista”, comenta Pedro Wickbold, Gerente executivo do Grupo Wickbold, detentor da marca Seven Boys. Segundo ele, por ser um produto de maior valor agregado e, portanto, de maior desembolso, o consumidor procura por marcas confiáveis que ofereçam produtos de qualidade e com preço acessível.

Sobre o período, vale dizer ainda que a venda de espumantes tem grande impacto no faturamento tanto do varejo quanto da indústria. Lourenço Filho, diretor comercial e de marketing da CRS Brands comenta que 65% o volume de vendas da empresa está concentrado no segundo semestre do ano. “A categoria de espumantes alavanca não só as festas de final de ano, mas também outras categorias, especialmente vinhos”, comenta Filho. Ainda segundo ele, a execução no PDV é uma ação necessária e importante, pois, sem ela o consumidor não é impactado.

Exposição

Um dos cuidados que o varejista deve ter para garantir que o consumidor encontre com facilidade os produtos da sua marca preferida ou mesmo tenha acesso às novidades de outras marcas é expor adequadamente. Para Anderson Freire, Gerente Nacional de Marketing da Arcor, a exposição do produto no PDV deve incluir os materiais promocionais,  além da precificação correta dos produtos de modo que fiquem visíveis para o consumidor. “É importante expor todo o mix nas ilhas estratégicas de compra. Há pontos estratégicos para posicionar os produtos, como próximo às bebidas, refrigerados, área de panificados e itens que compõe a festa natalina”, diz. Segundo o executivo, a categoria, por ser sazonal, não costuma constar na lista de compras do consumidor. “Em muitos casos a compra é feita por impulso, por isso é fundamental ter uma boa exposição no ponto de venda chamando a atenção do consumidor”, finaliza.

Fonte: Portal New Trade

Veja Também

Marketing jurídico, o que pode e não pode?

Dentro do mercado jurídico brasileiro, há uma noção muito disseminada de que advogados não podem …