Campanha é prorrogada e salas de vacina funcionam durante a semana

A Campanha de Vacinação contra a Poliomielite e o Sarampo continua durante a semana em Teresina. A Fundação Municipal de Saúde mantém de segunda a sexta 104 salas de vacina em funcionamento em todas das áreas da cidade, que continuarão imunizando as crianças de um ano a menores de cinco anos até atingir a meta de 95% de 49 mil meninos e meninas dentro do público-alvo.

 

O Ministério da Saúde lançou nota recomendando que as cidades que não tenham atingido a meta de vacinação abram postos neste sábado (01), porém, após reunião, foi decidido que a orientação não seria acatada em Teresina. “No dia D, que fizemos no sábado passado (25), foram feitas cerca de 5 mil doses. Foi uma procura muito baixa para um esforço e um custo muito alto”, justifica a diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba. “Mas todas as nossas salas estão abastecidas e funcionam de segunda a sexta-feira”, complementa a diretora.

 

Segundo dados do Ministério da Saúde, até o momento foram aplicadas 8 milhões doses das duas vacinas em todo o país, o que corresponde a 77% da meta nacional. Em Teresina, a porcentagem chega a 59%, com a aplicação de 28.519 doses de vacina contra o sarampo e 28.880 doses contra a poliomielite. O prefeito Firmino filho fez um apelo para sensibilizar a população. “Eu gostaria de fazer um pedido, uma conclamação à população. É fundamental que possamos chamar todos os pais, todas as mães à sua responsabilidade. Não faz sentido o que está acontecendo”, disse o prefeito.

 

Amariles Borba explica que o perigo aumentou porque, além do vírus vindo da Venezuela através da Amazônia, acontece neste momento uma verdadeira epidemia de sarampo na Europa, com mais de 41 mil casos, o dobro do número de casos que aconteceram em todo o ano de 2017. “Foi registrada uma quantidade significativa de óbitos, 37, sendo 14 só na Sérvia, país com o dobro da população do Piauí, mas um terço nosso do território”, alerta a diretora, lembrando que estes vírus podem chegar ao nosso país por meio do trânsito de turistas.

 

Crianças de um ano a menores de cinco anos devem participar da campanha, mesmo aquelas que estão com seu esquema vacinal atualizado. Sempre levar a caderneta de vacinação e o número do cartão SUS para que os profissionais de saúde administrem as doses específicas para cada situação. A vacina contra o sarampo usada na campanha é a tríplice viral – que também protege contra caxumba e rubéola – em todas as crianças do público alvo que não tenham tomado uma dose há menos de 30 dias. Já contra a poliomielite é administrada a vacina oral poliomielite (VOP) em crianças que já tenham recebido uma ou mais doses, ou a vacina inativada poliomielite (VIP), nas crianças que receberão pela primeira vez

Fonte: Ascom

Veja Também

Os desafios da ButanVac, que vai usar 20 milhões de ovos de galinha para produzir 40 milhões de vacinas

Produção de imunizante nacional tem tecnologia barata já usada com sucesso na fabricação da vacina …