Cai infestação do Aedes aegypti em Teresina

Teresina está em baixo risco de infestação pelo Aedes aegypti. Este foi o resultado do quarto Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2018, que registrou um Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – de 0,1% na cidade.

A pesquisa foi feita entre os dias  2 e 6 de outubro em todos os bairros da capital, que foram divididos em grupos de 33 estratos. No último LIRAa, realizado em agosto, este número foi de 0,2%. “Os números do LIRAa seguem uma curva de aumento no início do ano, com ápice nos meses de maio e abril”, explica Oriana Bezerra, gerente de Zoonoses da FMS. “Logo após o fim da época das chuvas, é esperado um aumento no índice de infestação, que sofre uma queda na época na estação seca”, informa.

O LIRAa acontece quatro vezes ao ano e abrange todas as regiões da cidade. Durante o LIRAa, os agentes de endemias da FMS percorrem uma média de 15 mil imóveis em busca de focos em ralos, piscinas, vasos de planta e outros potenciais criadouros. São enviados os índices de focos por meio da identificação tanto de larvas, como da forma adulta do inseto. Os dados obtidos servirão como base para o desenvolvimento de estratégias de combate ao Aedes aegypti e trabalhos educativos voltados à prevenção da dengue, zika e chikungunya.

Fonte: FMS

Veja Também

Governo brasileiro vai usar vacina chinesa contra covid-19 no SUS

CoronaVac está em testes no Brasil desde julho; Ministério da Saúde fechou acordo com o …