Créditos: Divulgação

Prevenção e remoção no tratamento de dentes inclusos

De dez adolescentes, quatro apresentam algum tipo de problema relacionado a existência de dentes inclusos. Uma realidade que requer cuidados e onde, de acordo com a odontóloga Teresa Marly Melo, a prevenção e a remoção em alguns casos, são as melhores saídas para cuidar da saúde dos dentes.

Dentes inclusos são aqueles que não nasceram porque não conseguiu erupcionar ou simplesmente por que não estavam no tempo certo. Este problema pode afetar muitos lugares da arcada, como terceiros molares (sisos), caninos superiores, pré-molares inferiores, caninos inferiores, pré-molares superiores, incisivos centrais superiores, incisivos laterais superiores e segundos molares inferiores. Existem também os classificados como semi inclusos, aqueles que erupcionaram parcialmente.

Esses dentes escondidos acabam não dando o ar da graça devido ao tamanho inadequado da arcada, ocasionando a falta de espaço. “Acontece quando o comprimento total do osso alveolar é menor que o comprimento total da arcada dentária. Outra causa de inclusão dentária são barreiras mecânicas que impedem a erupção do dente, como lesões patológicas (cistos e tumores) ou dentes extras chamados de dentes extranumerários ou supranumerários.

“Os terceiro molares, provocam gengivite e pericoronarite (inflamação da gengiva que circunda um dente do siso). Isso causa dor, abscesso dentário (inchaço e inflamação). Até o ato de mastigação irrita, inflama. Em alguns casos, observamos edemas nessas áreas afetadas pelo problema. A dor para o paciente é lancinante, com pontadas agudas”, detalhou a odontóloga Teresa Marly.

Segundo a profissional, o melhor tratamento ainda é a prevenção. “É o ideal. A prevenção deve acontecer sempre antes da pericoronarite. Depois disso, se tem dente incluso, semi retido ou totalmente retido, tem que providenciar a remoção”, explicou.

Profissionais como a doutora Teresa Marly Melo, que possui 30 anos de mercado, em no máximo meia hora conseguem fazer a cirurgia para a remoção de dentes inclusos. “Um procedimento tranquilo, com mini incisão, às vezes uma remoção de osso com broca cirúrgica ao redor do dente, mas é tranquilo. Faz a remoção, sutura, pronto”, avisou.

A melhor época para a remoção dos sisos é entre os 17 e 20 anos.

 

Veja Também

Estudo: Pfizer é mais eficaz contra Delta com intervalo de 8 semanas 

Bula indica 21 dias entre doses, Brasil e outros países usam 12 semanas de distanciamento; …