NOTA DE LAMENTO

A Comissão de Liberdade Religiosa da OAB Piauí vem, por meio desta Nota pública, lamentar as medidas tomadas pelo Governo do Estado do Piauí na Portaria Conjunta SEGOV/SESAPI Nº 04, de 29 de março de 2021, publicada no Diário Oficial do Estado no 63/2021, que, dentre as medidas impostas, suspendeu a realização de cerimônias religiosas presenciais nos dias 29 (a partir das 20h), 30 e 31 de março, bem como determinou que seja realizada apenas uma cerimônia por dia, com duração máxima de até 2 (duas) horas, entre os dias 1º e 4 de abril do corrente ano.

Desde o início da pandemia da COVID-19 e do momento em que as primeiras medidas restritivas foram tomadas, esta Comissão se colocou à total disposição das autoridades, tendo enviado ofícios a fim de proativamente solicitar espaço nas deliberações acerca das atividades religiosas, bem como tem orientado as organizações religiosas para que haja, nas celebrações, o mais estrito respeito às normas higienicossanitárias e de distanciamento.

Infelizmente, a atuação da Comissão tem ocorrido posteriormente à publicação de medidas que cerceiam direitos consagrados na Constituição Federal, embaraçando o funcionamento de cultos religiosos e igrejas e interferindo diretamente nas liturgias religiosas, ferindo a separação entre Estado e Igreja, imprescindível num estado laico e tão preciosa para nossa democracia.

Vivemos um momento crítico, pois além dos problemas de saúde pública que assolam a sociedade piauiense, temos visto o Estado intervir onde constitucionalmente não lhe é permitido nas atuais circunstâncias, à revelia da Constituição Federal.

Esta Comissão não é indiferente ao momento delicado pelo qual passamos. Muito pelo contrário, por reconhecer a angústia desses tempos, a Comissão tem pugnado incansavelmente pela defesa da Liberdade Religiosa, porquanto historicamente a Igreja tem sido uma aliada do Estado nos momentos de crise, prestando serviços essenciais de culto e consolo espiritual aos aflitos, auxílio e socorro aos necessitados e enfermos.

A Comissão de Liberdade Religiosa da OAB/PI discorda da atual postura adotada pela Secretaria de Governo e da Secretaria de Saúde do Estado do Piauí, ante a latente inconstitucionalidade das medidas publicadas, assim como devido à ausência de diálogo prévio com as Instituições interessadas, mas reitera a disponibilidade em servir junto à sociedade e ao Estado naquilo que for preciso.

 

Cândido Alexandrino Barreto Neto
Presidente da Comissão de Liberdade Religiosa da OAB/PI

Alexandre de Almeida Ramos
Vice-Presidente da Comissão de Liberdade Religiosa da OAB/PI

Priscylla Queiroz Lustosa                                 Secretária Adjunta da Comissão de Liberdade Religiosa da

Jamylle Torres Viana Vieira de Alencar Leite Lima
Secretária Adjunta da Comissão de Liberdade Religiosa

ASCOM OAB PI

 

Veja Também

“Teimosinha”: Mecanismo procura valores de devedor por até 30 dias

Agora, os advogados não precisam peticionar ao juiz por busca de valores a cada 24 …