segunda-feira , junho 21 2021

Justiça Restaurativa e Práticas Colaborativas são destaque na I Maratona de Resolução de Conflitos 

Novos conceitos da Justiça Restaurativa e Práticas Colaborativas foram os temas centrais abordados durante a “I Maratona de Resolução de Conflitos”, realizada de 3 a 6 de maio, pela plataforma online ZOOM. O evento promovido pela OAB Piauí, em parceria com a ESA-PI, foi iniciativa da Comissão de Justiça Restaurativa e Direito Sistêmico (CJRDS), através de seu Núcleo de Práticas Restaurativas, ocorreu de forma online e gratuita, com direito a certificação de 6/h aos participantes.

Durante a abertura do evento, a Presidente da CJRDS da OAB Piauí, Ana Betina, ressaltou a importância de se difundir as práticas restaurativas e colaborativas na Advocacia. “Com esse evento, a OAB Piauí busca oportunizar a formação e a capacitação para a Advocacia e demais profissionais do Direito. Aqui, apresentamos a Justiça restaurativa como um meio extremamente eficaz de solução de conflito que se orienta pela criatividade e sensibilidade a partir da escuta”, explicou.

A Maratona contou com exposições do professor e membro da CJRDS, Rogério Almeida. Durante a sua palestra, o Advogado ressaltou a felicidade de transmitir a visão sistêmica dos conflitos para os profissionais.

“Os novos conceitos sobre o conflito e novas formas de compreendê-lo, assim como os meios consensuais de resolução, com ênfase na Justiça Restaurativa e nas Práticas Colaborativas, são ferramentas valorosas na promoção da resolução de conflitos na nossa sociedade. Fico feliz em poder transmitir esses conhecimentos e habilidades. Essas técnicas podem ser utilizadas tanto na atuação profissional quanto na vida pessoal de todos e, por isso, são tão valorosas”, enfatizou Rogério Almeida.

Durante aos dias de evento, o professor Rogério Almeida abordou a aplicabilidade e benefícios das Práticas Colaborativas em diversas áreas profissionais, como no Sistema de Segurança Pública, Penitenciário, Medidas Socioeducativas (menores), na Educação, Saúde Mental, Bem-estar, Rede de proteção, no Sistema de Justiça e Operadores do Direito.

O encerramento da Maratona contou com a palestra da Presidente da Comissão de Práticas Colaborativas, Ana Paula Araújo, que falou sobre os benefícios, aplicação e sua atuação na Advocacia Colaborativa.

“A Práticas Colaborativas, que foram idealizadas pelo Advogado Norte Americano Stwart Weeb, têm uma importância significativa para a resolução de conflitos sociais e judiciais. Inclusive, em 2018, o Conselho Nacional de Educação editou uma resolução para que os cursos de Direito assegurem o domínio às formas consensuais de resolução de conflitos, devendo estar presentes de forma transversal no plano de curso. Daí, vemos a sua importância desse ramo que está em profunda expansão”, disse.

Participaram do evento Advogados, Mediadores, profissionais da educação, Segurança, Justiça, Conselhos Tutelares, Assistência Social e Socioeducadores.

ASCOM OAB PI

Veja Também

TJ/DF nega troca de placa de veículo com letras “GAY”

Colegiado destacou que palavra não pode ser considerada ofensiva, nem jocosa, e que não é …