quinta-feira , dezembro 3 2020

Justiça manda bloquear R$ 1 milhão de empresário para pagar advogado

O juiz da Terceira Vara Cível de Cuiabá, Jorge Alexandre Martins Ferreira, mandou bloquear mais de R$ 1 milhão do empresário Eder Augusto Pinheiro, proprietário da Verde Transportes.

A restrição, que a atinge as contas bancárias de Pinheiro, foi determinada nesta segunda-feira (26).

De acordo com informações do processo, outro empresário e também advogado cobra na Justiça a dívida contra o dono da Verde Transportes.

Sem revelar a origem do débito – já reconhecido pelo Poder Judiciário -, ele acusa Eder Augusto Pinheiro de realizar “manobras” para tentar esconder seu patrimônio e assim não pagar o valor.

 

Relata a conduta furtiva e maliciosa do requerido, salientando que o mesmo vem se desfazendo de todo seu patrimônio, em razão de dívidas que acumulou em clara tentativa de frustrar o recebimento dos créditos

 

Éder e o grupo empresarial de sua propriedade estão em recuperação judicial com dívidas de R$ 43 milhões.

“Relata a conduta furtiva e maliciosa do requerido, salientando que o mesmo vem se desfazendo de todo seu patrimônio, em razão de dívidas que acumulou em clara tentativa de frustrar o recebimento dos créditos pelos credores, requer a concessão de medida cautelar incidental no sentido de indisponibilizar, primeiramente, a quantia do débito exequendo no importe de R$ 1.091.992,67”, diz trecho dos autos.

Em sua decisão, o juiz Jorge Alexandre Martins Ferreira reconheceu a possibilidade do empresário que cobra a dívida ficar sem o seu dinheiro.

“No caso dos autos, vale dizer, os pressupostos exigidos no referido dispositivo processual, de exposição sumária do direito ameaçado e o receio de lesão, foram demonstrados a contento, tendo em vista a prova literal da dívida, representada pelo Contrato Particular de Confissão e Parcelamento de Dívida, bem como pelas inúmeras transferências de patrimônio imobiliário, e diante dos pedidos de recuperação de suas empresas”, explicou o magistrado.

A Verde Transportes opera no transporte de passageiros em Mato Grosso a partir de contratos precários. Tanto a empresa quanto seu proprietário já foram alvos da operação “Rota Final”, que tenta sabotar a concessão de linhas do transporte intermunicipal de passageiros no Estado.

Diego Frederici

Do Folhamax

Veja Também

Gilmar Mendes adia julgamento de habeas corpus que colocou Queiroz em prisão domiciliar

Caso seria analisado no plenário virtual da Segunda Turma a partir desta sexta. Gilmar concedeu …