Crédito: Divulgação

Instituto Vicente Nelson e a modernidade

Em onze anos de existência, o Instituto Vicente Nelson (IVIN) já realizou mais de 50 concursos em todo país, atendendo a uma gama superior a 400 mil candidatos. Uma trajetória marcada pela competência e credibilidade. Nunca em sua história, o Instituto teve um único concurso cancelado por qualquer tipo de imperícia.

A missão é elaborar, organizar e realizar concursos públicos, cursos de qualificação e testes seletivos pelo Brasil. E muito do sucesso obtido se deve, além de uma boa gestão, a própria estrutura que foi montada, que proporciona agilidade no trabalho e garantia de segurança para os clientes.

O IVIN conta com equipamentos de ultima geração, que atendem aos clientes de forma rápida. A gráfica é composta por máquinas a laser, com possibilidade de fazer 90 cópias por minuto, com total autonomia. O encadernamento acontece em brochura, seja para provas ou cadernos de questão, tudo sem auxilio humano. A própria máquina entrega o material pronto.

“Essa questão de capacidade de atendimento somos ótimos. Temos como aferir resultados através de um sistema de gerenciamento eletrônico que faz a leitura dos cartões repostas através de máquinas a laser. Depois de captadas as respostas, tudo passa por um sistema de gerenciamento onde conseguimos resultados em tempo rápido”, informou Miquéias Luz, Gerente do IVIN.

Segurança é mesmo prioridade no instituto. Todas as salas possuem sistema de filmagem com controle on line, 24 horas por dia, o que facilita o acesso a essas imagens através de um simples tablet ou smartfhone. “Os contratantes podem fazer a monitoria do que estamos fazendo aqui a distância”, garantiu.

O processo é simples e eficiente. Todo material que é produzido na gráfica passa por um setor de triagem para verificar se os cadernos foram impressos da maneira correta. Em seguida é feito o envelopamento em envelopes de segurança. Tudo é colocado em malotes de segurança lacrados em numeração a laser e depositado em uma sala cofre cujo acesso  só acontece através de senha automática.

“A sala é toda revestida em metal, chapa de aço. Tanto o teto, o piso, como as laterais. A porta tem 12 cm de espessura. Essa é uma área restrita, ninguém entra ou sai sem ser percebido. Usamos até detector de  metais, semelhante ao de bancos para dar mais segurança ao nosso trabalho”, revelou o gente do IVIN.

Capacitação

Além de realizar concursos públicos, o IVIN também faz capacitação in company, na sede das empresas ou instituições parceiras. “Atingimos vários segmentos profissionais e educacionais. Capacitamos professores do Brasil Alfabetizado, por ai vai. Em Goiânia, por exemplo, vamos ministrar cursos de capacitação  para o exército local, através do projeto Soldado Cidadão. Nosso trabalho ultrapassou fronteiras”, disse.

Por Ricardo Moura Fé

Veja Também

São Bernardo determina toque de recolher e suspende volta às aulas

Diante do aumento no número de mortes pela covid-19 e superlotação nos leitos de terapia …