terça-feira , dezembro 7 2021

Coordenadoria da Mulher promove ação para lembrar 15 anos da lei Maria da Penha hoje(07)

A Coordenadoria de Estado de Políticas para Mulheres (CEPM-PI) promove a campanha “Ela não se calou, nós não nos calaremos!” no sábado

A Coordenadoria de Estado de Políticas para Mulheres (CEPM-PI) promove a campanha “Ela não se calou, nós não nos calaremos!” no sábado (7), às 17h30, no Complexo Cultural Turístico Ponte Estaiada, em Teresina. A iniciativa tem parceria com a Secretária Municipal de Políticas para as mulheres (SMPM) e tem o objetivo de informar e dar visibilidade aos 15 anos da Lei Maria da Penha.

“Neste sábado, teremos mais uma ação da campanha Agosto Lilás. Em parceria com a Secretaria Municipal de Políticas para as Mulheres, vamos continuar a caminhada no enfrentamento da violência contra à mulher, dando um destaque aos 15 anos da Lei maria da Penha. É uma lei que revolucionou o Brasil no enfrentamento à violência, prevenção, na proteção à mulher. É uma lei reconhecida por de 90% da população, por isso, vamos continuar lutando para sua ampliação e empoderamento das mulheres através das políticas públicas desenvolvidas pelo governo”, afirma a coordenadora de Estado de Políticas para as Mulheres, Zenaide Lustosa.

“O objetivo é alertar e chamar a atenção para esta data tão importante e significativa para nós mulheres, além de homenagear essa mulher corajosa chamada Maria da Penha”, disse a secretária da Mulher de Teresina, Karla Berger.

“Ela não se calou, nós não nos calaremos!” é uma campanha que visa informar e da visibilidade a Lei Maria da Penha e os serviços oferecidos no município para assistir as mulheres em situação de violência.

Por conta do evento, a Ponte Estaiada será iluminada com luzes lilases em homenagem à data e as mulheres da rede enfrentamento soltaram balões da mesma cor em homenagem às vítimas de feminicídio em Teresina.

Fonte: CCOM

Veja Também

Juíza suspende atividade profissional de sete advogados suspeitos de fraude; OAB-GO vai recorrer

Sete advogados tiveram a atividade profissional suspensa cautelarmente, por força de decisão judicial, por suspeita …