terça-feira , dezembro 7 2021

Bolsonaro: o que Barroso quer é a volta da fraude eleitoral

Em motociata no RS, presidente fez duras críticas ao presidente do Tribunal Superior após ameaçar as eleições de 2022

Em breve discurso realizado há pouco em Porto Alegre (RS), o presidente da República, Jair Bolsonaro, fez duras críticas ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luís Roberto Barroso, ao defender o voto impresso nas próximas eleições.

“O que o Barroso quer é a volta da roubalheira, a volta da fraude eleitoral”, disse Bolsonaro. Pouco antes, o presidente usou palavras duras sobre o ministro do STF, acusando-o de defender a pedofilia e o aborto.

Numa breve pausa há pouco, na motociata, Bolsonaro gravou vídeo para sua página no Facebook, e fez acenos a apoiadores. “O que simboliza isso aqui é a nossa liberdade, o nosso compromisso com a democracia. Não abriremos mão da nossa democracia e da nossa liberdade, do nosso direito que está na Constituição, quem pensa o contrário está no caminho errado”, declarou o presidente.

Bolsonaro disse também que tomou providências após o encontro com o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF), no qual o parlamentar afirma ter alertado o presidente sobre irregularidades no contrato para compra da vacina contra Covid-19 Covaxin.

Ao mesmo tempo, em entrevista à Rádio Gaúcha, em Bento Gonçalves (RS), Bolsonaro disse que não tem como tomar providências todas as vezes em que alguém lhe leva um problema em uma reunião e se recusou a responder se disse a Miranda que o líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), estava envolvido nas supostas irregularidades com a Covaxin, como relata Miranda.

“Eu tenho reunião com 100 pessoas por mês, os assuntos mais variados possíveis eu não posso chegar qualquer coisa para mim e ter que tomar providência imediatamente, tá certo? Tomei providência nesse caso”, afirmou à emissora.

Bolsonaro também voltou a atacar a CPI da Covid no Senado e chamou de “histórias fantasiosas” as denúncias de irregularidades envolvendo tratativas para compra de vacinas contra Covid-19 investigadas pela CPI.

presidente tornou-se alvo de um inquérito por suspeita de prevaricação após o relato de Miranda à CPI da Covid de que o alertou sobre irregularidades envolvendo a Covaxin. Barros nega envolvimento com as tratativas sobre a vacina.

Novamente sem máscara e mais uma vez provocando aglomerações, numa violação das recomendações de autoridades sanitárias para conter a disseminação da covid-19 -doença responsável pelas mortes de mais de 530 mil pessoas no Brasil- Bolsonaro participou de um passeio de moto com apoiadores em Porto Alegre na manhã deste sábado.

R7

 

 

Veja Também

Juíza suspende atividade profissional de sete advogados suspeitos de fraude; OAB-GO vai recorrer

Sete advogados tiveram a atividade profissional suspensa cautelarmente, por força de decisão judicial, por suspeita …